Mais Lidas

Movimento pró-Brasil

Bolsonaro incentiva protestos do dia 15 e diz que mente quem vê ataque à democracia

Presidente reclama de 'facada no pescoço', e diz que mente quem chama o ato de antidemocrático

acessibilidade:
Presidente da República Jair Bolsonaro. Foto: Carolina Antunes/PR

Diante de uma plateia em Boa Vista (RR), em escala de sua viagem aos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro incentivou os protestos do próximo dia 15, que têm como alvo o Congresso e a defesa do governo. O próprio presidente publicou vídeo de seu discurso no Twitter, e disse que quem chama o movimento de antidemocrático mente e teme os brasileiros.

“Quem diz que é um movimento impopular contra a democracia está mentindo e tem medo de encarar o povo brasileiro!”, concluiu Bolsonaro, dias depois de negar publicamente apoio ao movimento, quando foi noticiado que ele enviou para amigos vídeos que convocavam os protestos, via aplicativo de mensagens.

Ao pedir que a população participe do ato já considerado antidemocrático por líderes do Legislativo e do Judiciário, o presidente ressaltou que o movimento de rua é espontâneo e a favor do Brasil. E disse que não serve para político quem teme o povo na rua.

“No dia 15, agora, tem um movimento de rua espontâneo. E o político que tem medo desse movimento de rua, não serve para ser político. Então, participem. Não é um movimento contra o Congresso, nem contra o Judiciário. É um movimento pró-Brasil. É um movimento que quer mostrar para todos nós, presidente, poder Executivo, Legislativo e Judiciário, que quem dá um norte para o Brasil é a população”, disse Bolsonaro, em seu discurso.

O mesmo tom foi usado pelo ministro que deu mote ao movimento, após ter vazada uma conversa em que acusou o Congresso de chantagear o governo de Bolsonaro, o comandante do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno. Em seu discurso, disse que Bolsonaro enfrenta resistências políticas por estar desbaratando uma rede de corrupção.

“Estamos diante de uma realidade inevitável. O presidente Jair Bolsonaro fará um novo Brasil. E está dando certo. Ele tem encontrado uma resistência muito grande, porque a rede de corrupção que se criou neste país está sendo desbaratada por esse governo. Tem prejudicado planos espúrios de muita gente”, disse Augusto Heleno.

Antes da convocação, o presidente disse ter levado “facada no pescoço” no próprio gabinete, de quem ambicionava interesses próprios. “Pessoal, não é fácil. Já levei facada no pescoço dentro do meu gabinete, por pessoas que não pensam no Brasil. Pensam neles apenas. Essa é uma grande realidade”, concluiu.

Assista aqui o vídeo divulgado pelo presidente no Twitter.

 

Vídeos Relacionados