Mais Lidas

acessibilidade:

O Brasil político

Sim! Expliquem-me a tal história de alguém de codinome “Daniel” que segundo alguém tem vídeos comprometedores de certa autoridade e que os usa como forma de chantagem. (Interessante que o significado do nome Daniel é – Deus é o meu juiz.)
Primeiramente, sem querer ser maledicente, isso é totalmente possível se observarmos algumas decisões tomadas por “algumas autoridades.”
Em segundo lugar, se de fato o tal “Daniel” é quem insinuam ser, ele é capaz de coisas piores. Isso é só um pingente na caixinha de pandora desse personagem nefasto da política e do terrorismo nacional.
Em terceiro lugar, é bom que se saiba que há coisas que, definitiva e evidentemente, não permanecem no fundo. Elas emergem. Elas aparecem, quando menos se espera.
O cenário político brasileiro é complexo demais.
Veja você, por exemplo, a situação da tal CPI do Senado. Dois homens de reputação para lá de suspeita são, Presidente e Relator, e um terceiro é alguém que perdeu uma grande mamata e que agora quer se vingar pouco se importando em que a verdade prevaleça. O país, a nação, o Brasil, que se lixem contanto que eles levem a melhor, ou se safem, ou livrem outros de punição.
O Brasil precisa de reformas profundas e radicais. A começar na composição do poder legislativo. Não dá mais para termos frotas, joyces, tiriricas, jeans wyllys, humbertos costas, ottos alencares, renans calheiros, randolfes rodrigues, gleisis, lindbergs farias, marias dos rosário, dilmas, lulas, josés dirceu, josés genuíno, etc….etc….no Congresso Nacional no cenário político. O brasileiro precisa se dar o respeito. Eleger esses personagens é como entregar o país de mão beijada à pessoas sem preparo e, pior, sem o mínimo de caráter.
O poder judiciário precisa ser revisto igualmente. Que grande mamata essa que tem o Supremo Tribunal Federal! Quem o compõe é indicado pelo Presidente, “aprovado” pelo Senado, e se torna um demiurgo, um semi-deus, intocado, invulnerável, alforriado. Nomeados para serem os guardiões da Constituição, se transformaram em legisladores, investigadores, e pior, usurparam prerrogativas do executivo.
O Brasil Político é uma grande embarcação sem leme e com os motores funcionando no limite. A iminência de uma colisão com os arrecifes é mais que verossímel. O naufrágio é inevitável.
O Brasil Político é como um abscesso que precisa ser espremido e retirado o carnegão. Pode ser que haja cura, mas as cicatrizes ficarão como testemunha de um país infantil, um mina de riquezas inesgotáveis almejada pelos rufiões de sempre; políticos inescrupulosos e indecentes. Não se dão conta de que a única propriedade que terão (todos teremos) é o túmulo que nos aguarda a todos. Tais políticos (com raríssimas exceções) deveriam estar atentos para o fato inquestionável de que Pilatos lavou suas mãos, mas não a sua honra e nem a sua história.
Só me resta orar e pedir – Deus Salve o Brasil.