O ‘Biu’ que virou ‘Zito’

O ‘Biu’ que virou ‘Zito’

O então presidente da Câmara dos Deputados dizia que era o único Severino em Pernambuco a não ser tratado de “Biu”, mas de “Zito”. Só não contou a história. Em 1980, o então deputado estadual Severino Cavalcanti (Arena) não se conformou com a recusa do pároco de Ribeirão (PE), Vito Miracapillo, de rezar missa pelo 7 de Setembro, por considerar que o brasileiro ainda não havia conquistado “a efetiva independência”. Como a Lei dos Estrangeiros veda a militância política a não-brasileiros, Severino exigiu a expulsão do padre. Sua cruzada lhe rendeu o apelido “Zito”, uma referência ao padre Vito.

André Brito
André Brito
| Atualizado