Greve abusiva

Ferroviários de SP ganham em média R$6.500 e fazem greve surpresa

Grevistas ignoram ordem judicial para manter 80% dos trens funcionando

acessibilidade:

Ferroviários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM, que recebem média salarial de R$6.500,  entraram em greve supresa, sem prévio aviso e ignorando decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de manter funcionando ao menos 80% dos trens, nos horários de pico, sob pena de multa ao sindicato de R% 100 mil reais por dia.

Metade do sistema foi afetado: as linhas 9-Esmeralda e 10-Turquesa estão com todas as estações fechadas.

Já a linha 7-Rubi opera entre Barra Funda e Caieiras; e a 8-Diamante funciona entre Barra Funda e Barueri.

Em entrevista ao programa Bora São Paulo, da Band, o presidente da CPTM, Pedro Moro, afirma que funcionários de outros setores foram deslocados para garantir que pelo menos algumas estações abrissem.

Os grevistas reivindicam um reajuste salarial de 6%. Houve uma audiência de conciliação na tarde de ontem no Tribunal Regional do Trabalho, que acabou sem consenso.

Pedro Moro, presidente da CPTM, chamou de leviana a paralisação dos ferroviários.

As linhas 11-Coral, 12-Safira e 13-Rubi operam normalmente.

Reportar Erro