Mulheres no Poder


Últimas Notícias


07/05/2019

Damares demite Tia Eron, a secretária de Promoção Social que queria ser ministra

Puxando o tapete

Damares demite Tia Eron, a secretária de Promoção Social que queria ser ministra

Assessores dizem que ministra atribui a Tia Eron fake news de sua saída

A ministra Damares Alves (Família etc) demitiu a ex-deputada Tia Eron (PRB-BA) da Secretaria de Promoção Social. A ministra não divulgou suas razões, mas fontes próximas dizem que ela atribui à ex-secretária as fake news sobre sua suposta saída do cargo. Eron e o ministério citaram “improdutividade” e “nomeação de petistas” como motivações, mas no ministério afirma-se que Tia Eron queria o lugar de Damares. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. O cargo de Tia Eron vai ser ocupado pela ex-deputada Rosinha da Adefal (Avante-AL), que atualmente é secretária-adjunta. Tia Eron não garantiu uma vaga na Câmara no ano passado. O partido agora discute o que fazer com a ex-deputada, que presidia o PRB-BA. Segundo veículos de notícias da Bahia, “a única hipótese descartada é a volta da ex-deputada para a administração de ACM Neto”.
06/05/2019

Fecomércio-DF lançará Câmara de Mulheres Empreendedoras nesta terça

Empreendedorismo local

Fecomércio-DF lançará Câmara de Mulheres Empreendedoras nesta terça

A Câmara atuará prioritariamente para a elaboração de políticas voltadas para as mulheres no âmbito empresarial

Na manhã desta terça-feira (7), a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF) lançará  a Câmara de Mulheres Empreendedoras e Gestoras de Negócios do Distrito Federal, que tem objetivo de mostrar a força da mulher, a sua importância e coragem no empreendedorismo local, o evento será na sede da federação. A ação é uma iniciativa em consonância com a Confederação Nacional do Comércio de Bens Serviços e Turismo (CNC). Uma das representantes do grupo brasiliense fará parte da Câmara de Mulheres Empreendedoras que a CNC possui. O presidente da Fecomércio, Francisco Maia, diz que essa inciativa é decorrente do empoderamento feminino. “A mulher vem exercendo cada vez mais protagonismo em todas as profissões e no universo empresarial não é diferente. Vejo, porém, que ainda há muito o que melhorar em termos de igualdade e o que queremos, como representantes do comércio da capital da República, é que o número de empreendedoras aumente cada vez mais e que as mulheres ocupem cargos de chefia nas empresas”, aponta Maia. A Câmara atuará prioritariamente para a elaboração de políticas voltadas para as mulheres no âmbito empresarial e terá como objetivos a melhoria do ambiente de negócios para a mulher no DF, o incentivo para a abertura de novos negócios, a integração e troca de experiências, além da qualificação para mulher empresária. Beatriz Guimarães será a presidente da Câmara de Mulheres, para ela o papel feminino no mundo de negócios é de suma importância. “A Câmara demonstra a importância que a mulher tem no cenário econômico de bens e serviços na capital. Dentre os objetivos, está apoiar a mulher empresária do DF na superação dos gargalos existentes no setor”, diz Beatriz. O Sebrae do Distrito Federal será um dos parceiros estratégicos na atuação do grupo.
06/04/2019

Alunas acusam escola de Maceió de negligenciar meninas assediadas por colegas

Não é brincadeira

Alunas acusam escola de Maceió de negligenciar meninas assediadas por colegas

Direção diz que repudia abuso ou bullying, mas é acusada de conter protesto de alunas

Um grupo de meninas denunciou, nas redes sociais, o Escola SEB de Maceió por negligenciar apoio as vítimas de bullying e assédio sexual. O texto, que circula nas redes sociais, conta que os casos já aconteceriam há três anos. Por meio de nota, direção da unidade alegou que repudia qualquer ato de bullying e assédio sexual contra qualquer aluno ou colaborador. Além disso, ressaltou que palestras e projetos já são desenvolvidos dentro da unidade de ensino como forma de prevenção de conscientização. A situação foi divulgada nesta sexta-feira (5), quando um grupo de alunas realizou um ato pedindo que a escola tomasse providências. Elas sentaram no chão de um dos corredores, ecoando gritos de “meu corpo, minhas regras”,  “ei, coordenação, nós não vamos embora não”. Uma série de papéis com mensagens como “não vamos nos calar” foram colados nas paredes. De acordo com a denúncia relatada nas redes sociais, os meninos da instituição saiam impunes após acariciar e dar tapas em partes do corpo das alunas sem consentimento as meninas. “Uma quantidade absurda de meninas caladas por medo, vergonha e outros motivos. As que batiam no peito pra delatar o ocorrido eram desacreditadas”, informou a denúncia. A mensagem ainda frisa que as alunas seguiam até a coordenação do colégio para relatar a prática do assédio. No entanto, eram questionadas se estavam participando da “brincadeira”, pois não tinham se pronunciado sobre os casos antes. “Assédio sexual não é brincadeira. Assédio sexual é crime e todas nós queremos justiça”, destacou as estudantes. Veja o protesto de ontem das estudantes: A unidade destacou que tem reforçado o trabalho, com a presença e a orientação de uma psicóloga junto às turmas. Confira, abaixo, o comunicado da instituição na íntegra: A Escola SEB Maceió vem a público esclarecer que repudia qualquer ato de bullying e assédio contra quaisquer um de seus alunos ou colaboradores. Somos atentos a todas as necessidades de pais e alunos no âmbito pedagógico e prontamente nos reunimos com as partes para ouvi-las e tomar as devidas providências, culminando na suspensão dos alunos envolvidos. Gostaríamos de salientar que um trabalho de prevenção e conscientização sobre essa prática já é presente na escola com projetos e palestras desenvolvidos ao longo do ano e que, durante toda a próxima semana, contaremos com a presença e a orientação de uma psicóloga junto às turmas. Reforçamos o trabalho que a escola desempenha junto aos seus alunos no combate a práticas abusivas com uma formação humana, ética e responsável, priorizando acima de tudo o bem-estar dos alunos e suas famílias. (Com informações da jornalista Rayssa Cavalcante, da Gazetaweb)