Mais Lidas

Chicana 'trabalhista'

Palavra ‘bitch’ gera ação trabalhista, pedido de indenização (claro) e ‘guerra semântica’

Juiz trabalhista chegou a fixar multa de R$100 mil por 'danos morais'

acessibilidade:
Sede do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região, no Rio de Janeiro.

Um advogado trava guerra semântica com a 8ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (RJ), sobre o significado da palavra “bitch”.
Sua cliente processa por danos morais a State Grid. Diz que um diretor a assediou moralmente em três ocasiões. Em uma delas, ele a teria xingado de “bitch”.
Na primeira instância, a empresa foi condenada a pagar R$ 100 mil em danos morais. Na segunda, foi absolvida. Em julgamento em maio, o juiz federal Roque Dattoli negou que a palavra tenha cunho sexual e citou a música “The Bitch is Back”, de Elton John, para argumentar que há outros significados para o termo.
Disse que não há provas materiais de que o xingamento tenha ocorrido. Além disso, para evitar “desnecessários embargos de declaração”, em suas palavras, acrescentou que nenhum dos melhores dicionários da língua inglesa associa a palavra “bitch” a prostituta.
“Não haveria por que imaginar que, dirigindo-se à reclamante, [o diretor] tivesse em mente alguma ideia a respeito de sua vida particular –e a reclamante se refere, na petição inicial, a ‘ofensa sexual'”, escreveu.

Reportar Erro