Mais Lidas

Não havia tempo hábil

Toffoli autoriza ida de Lula ao velório do irmão, mas ele desiste de comparecer

Ministro autorizou que Lula se encontrasse com familiares na Unidade Militar na Região e que o corpo fosse levado até lá

acessibilidade:
Ministro permanecerá em observação, ela passa bem Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O ex-presidente Lula decidiu não deixar a prisão, em Curitiba, nesta quarta-feira, 30, para encontrar familiares em uma unidade militar, após a morte do seu irmão mais velho, Genival Inácio da Silva, o Vavá. O petista enviou uma coroa de flores para o velório.

Preso em Curitiba desde abril do ano passado, Lula conseguiu liberação para comparecer ao velório no início da tarde desta quarta, quando o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, concedeu a autorização. No entanto, não havia tempo hábil para o deslocamento do ex-presidente até o ABC Paulista, em São Paulo. O corpo de Vavá foi enterrado às 13h em São Bernardo do Campo (SP).

“Na verdade, a decisão foi absolutamente inócua. A decisão foi proferida quando o corpo já estava baixando a sepultura, o enterro já estava acontecendo. Então, nesse sentido, a decisão não tem mesmo como ser cumprida”, disse o advogado de Lula Manoel Caetano Ferreira.

O advogado também reclamou da decisão de Toffoli para o encontro em unidade militar.

“Seria um vexame, seria um desrespeito com a família que ele fosse se encontrar com a família num momento como esse em um quartel”, afirmou o advogado.

Lula havia pedido na terça-feira, 29, assim que soube da morte do irmão, para comparecer ao enterro, mas o pedido foi negado pela juíza da 12ª Vara Criminal Federal de Curitiba, Carolina Lebbos, e mantida pelo desembargador Leandro Paulsen, do Tribunal Regional da 4ª Região (TRF4). O pedido ao STF foi feito pela defesa no início da madrugada desta quarta.

O advogado de Lula também justificou a desistência de Lula de encontrar os familiares dizendo que o ex-presidente já se encontra com a família todas as quintas-feiras, dia de visitas. Ainda conforme o advogado, Vavá era um irmão com quem Lula tinha fortes vínculos afetivos.

“Ele sentiu muito a morte do irmão, e sentiu mais ainda não pode se despedir do irmão e se encontrar com a família nesse momento de muita tristeza”, disse Ferreira.

A faixa que ornamenta o arranjo de flores traz os dizeres: “Meu querido irmão, companheiro e amigo, que o brilho de sua estrela traga paz aos nossos corações. A saudade que já sentia, me aperta o peito agora. Siga com Deus. Lula.”

A defesa de Lula alegou que a Lei de Execução Penal (LEP) prevê que presos possam deixar as unidades para comparecer ao velório de um parente próximo. A Polícia Federal, no entanto, alegou dificuldades logísticas para realizar a viagem da superintendência da corporação em Curitiba, onde Lula está preso, até o Cemitério Pauliceia, em São Bernardo do Campo. A PF também alegou que a presença do ex-presidente poderia tumultuar a ordem pública, em razão de manifestações de simpatizantes.

Lula cumpre pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP).

Reportar Erro