Mais Lidas

1ª reunião ordinária

Ministério Público do DF participa de encontro sobre combate a crime organizado

Na ocasião, Sergio Moro falou sobre os planos do governo para combater o crime organizado

acessibilidade:
O evento é realizado no Ministério Público Militar

A procuradora-geral de Justiça, Fabiana Costa, acompanhou a abertura da 1ª reunião ordinária de 2019 do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC). A programação foi aberta com a palestra do ministro de Estado da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, intitulada “Panorama geral do Governo Federal no enfrentamento da corrupção sistêmica”. O evento é realizado no Ministério Público Militar e tem a participação de membros do Ministério Público de todo o Brasil.

Na ocasião, Sergio Moro falou sobre os planos do governo para combater o crime organizado, sobre o projeto de lei anticrime, execução em segunda instância, banco de perfis genéticos e regulação de agentes policiais disfarçados. Ele destacou ainda as mudanças estruturais no ministério e comentou sobre a importância da parceria com o Ministério Público: “Percebemos que o modelo de força-tarefa tem dado certo. Precisamos adotar estratégias para concentrar nossos esforços em prol dos objetivos em comum”, ressaltou.

O procurador-geral de Justiça de Alagoas e presidente do GNCOC, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, ressaltou a importância da atuação dos órgãos de controle e destacou o trabalho dos Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaecos) pela sociedade.

Representam o MPDFT no evento, além de Fabiana Costa, a vice-procuradora-geral de Justiça, Selma Sauerbronn, e os promotores de Justiça do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco/MPDFT), do Centro de Informações (CI), do Núcleo de Controle e Fiscalização do Sistema Prisional (Nupri) e da Assessoria Criminal do MPDFT

GNCOC

O GNCOC congrega o Ministério Público brasileiro e faz parte do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais dos Ministérios Públicos dos Estados e da União (CNPG), para combater o crime organizado que atinge todo o país. É formado pelos Gaecos e trabalha de maneira integrada às polícias (civil, militar, federal e rodoviária federal), à Agência Brasileira de Inteligência (Abin), às receitas estadual e federal, à Agência Nacional de Petróleo, entre outros órgãos.(Com informações MPDFT)