Mais Lidas

Operação Unfair Play

Lula nega saber de compra de votos para a escolha do Brasil como sede das Olimpíadas

"Estou cansado de mentiras", declarou o ex-presidente durante a audiência com o juiz Marcelo Bretas

acessibilidade:
Lula (PT) e Sérgio Cabral (MDB). Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

O ex-presidente Lula prestou depoimento na manhã desta terça (5) como testemunha de defesa do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, em uma ação penal que investiga um esquema de compra de votos para a escolha do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

Por 50 minutos, o petista falou na audiência conduzida pelo juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio. “Eu não sei qual é o critério para alguém que diz que foi trapaça (a escolha da Rio-2016). Esse senhor (procurador) não deve conhecer nada”, declarou Lula. O ex-presidente afirmou ainda estar “em busca da verdade” e que nenhum brasileiro está mais em busca da verdade que ele. “Estou cansado de mentiras”, declarou.

Cabral também estava presente no depoimento feito por videoconferência, já que o ex-presidente está preso em Curitiba desde abril deste ano. O ex-governador pediu para falar diretamente a Lula, a quem prestou condolências pela morte de Marisa Letícia. “Estava preso quando Dona Marisa faleceu. Meu abraço ao senhor pelo falecimento da Dona Marisa. (O abraço) da Adriana (Ancelmo, esposa de Cabral), meu e dos meus filhos.”

Depoimento com humor

Apesar da seriedade do assunto discutido na audiência, não faltou espaço para o humor. Antes da entrada de Cabral na sala, Lula perguntou se quem conduzia a audiência era Marcelo Bretas. Já na sala, o juiz brincou: “não fala mal de mim não que estou ouvindo”.

No final do depoimento, mais brincadeiras. Bretas agradeceu a postura do ex-presidente na audiência e apontou o petista como uma figura relevante para a história do país. “Para mim, inclusive. Aos 18 anos estava aqui num comício na Avenida Presidente Vargas com um milhão de pessoas e eu estava lá usando o boné e a camiseta com seu nome”, declarou o juiz.

Lula afirmou que Bretas pode usar o boné e a camisa, fazendo alusão a sua pré-candidatura, ainda levada em consideração pelo PT e pelo ex-presidente mesmo após sua condenação e prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. “Quando eu fizer um comício agora vou chamar o senhor para participar”, completou.

Operação Unfair Play

Lula prestou depoimento em uma ação que investiga propinas para membros do Comitê Olímpico Internacional favorecerem a escolha do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), Cabral liderou um esquema de compra de votos de dirigentes do Comitê Olímpico Internacional (COI). De acordo com os procuradores, um dos votos comprados foi o de Lamine Diack, então presidente da Federação Internacional de Atletismo e membro do COI. O dinheiro foi entregue ao filho dele Papa Massata Diack.

O pagamento teria sido feito pelo empresário Arthur Soares, conhecido como Rei Arthur. Soares, que está foragido, tinha um contrato de R$ 3 bilhões com o estado do Rio de Janeiro e era próximo a Cabral. Com o esquema, o ex-governador teria se beneficiado com o recebimento de 5% de propina sobre os contratos firmados para as obras olímpicas.

No mesmo processo, Pelé presta depoimento a pedido de Carlos Arthur Nuzman, também réu no âmbito da Operação Unfair Play. O ex-presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB) chegou a ser preso, mas foi liberado por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Reportar Erro