Mais Lidas

Operação Caixa de Pandora

Defesa aguarda tranquila a absolvição de Paulo Octavio na Caixa de Pandora

Para Kakay ficou comprovado no processo, de maneira inquestionável, a lisura das ações do ex-governador

acessibilidade:

De forma serena, é assim que o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay , aguarda a resposta da Justiça em relação a absolvição do empresário e ex-governador do Distrito Federal, Paulo Octavio, no processo da Caixa de Pandora.

Afirmação ocorreu na tarde desta terça-feira (18), após audiência na 7ª Vara Criminal, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), da Operação Caixa de Pandora, “Paulo Octavio pode, enfim dar suas explicações à Justiça. Não resta qualquer dúvida de que Paulo Octavio não praticou nenhum ato ilícito. Toda a prova produzida é favorável a ele”, afirmou Kakay ao Diário do Poder.

Para Kakay a segurança da absolvição de seu cliente tem como base, “a instrução do processo, ao longo de todos esses anos, tendo ficado comprovado, de maneira inquestionável, a lisura de suas ações enquanto agente público, seja durante a campanha de 2006, seja no tempo em que exerceu a Vice-Governadoria e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, revelando total transparência, legalidade e comprometimento com o Governo do Distrito Federal.

‘Mensalão’ do DEM

Deflagrada pela Polícia Federal em 2009, a Operação Caixa de Pandora investigou a distribuição de recursos ilegais à base aliada do Governo do Distrito Federal. Segundo as investigações, Arruda, na época governador do DF, chefiava um esquema de cobrança de propina de empresas de informática que tinham contrato com o Executivo. O dinheiro era usado para comprar apoio de deputados distritais.