'STF é uma vergonha'

Jurista pede o impeachment do ministro Lewandowski por abuso de poder

Modesto Carvalhosa está indignado com abuso de poder de ministro do STF

Os advogados Carvalhosa e Spinola ressaltam que Lula cometeu crime previsto no Art. 350 do Código Eleitoral. Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo

O advogado Modesto Carvalhosa, um dos juristas mais admirados do País, decidiu ingressar nesta sexta-feira (7) com pedido de impeachment contra o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF).

A iniciativa de Carvalhosa decorre do incidente envolvendo o ministro e um advogado de 39 anos durante um voo para Brasília. De maneira moderada, sem falar alto, o advogado se dirigiu a Lewandowski afirmando que “o STF é uma vergonha”.

O pedido de impeachment já foi protocolado e encaminhado ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE). Além de Carvalhosa, o pedido é assinado por outros cinco advogados paulistas: Leopoldo Penteado Butkiewicz, Leonardo Tavares Siqueira, Marco Aurelio Chagas Martorelli, Ligia Maura Fernandes Garcia da Costa e Adriana de Melo Nunes Martorelli.

Em resposta, o ministro perguntou se o rapaz queria ser preso. E chamou a Polícia Federal, que acabou constrangendo o advogado conduzindo-o a “prestar esclarecimentos”.

Para Carvalhosa, o ministro “abusou da autoridade dele várias vezes, mas ao mandar deter o advogado Cristiano Caiado de Acioli por um técnico judiciário, ele abusou da autoridade dele de maneira total”.

“Como se manda um técnico, um funcionário que não tem nada de autoridade policial, deter um camarada, mandar para a Polícia Federal, ficar detido durante cinco horas para averiguação de uma declaração de um cidadão que tem todo o direito de se manifestar sobre a perda de reputação do Supremo Tribunal Federal?”, questiona o jurista.

Cláudio Humberto
Cláudio Humberto
| Atualizado