Desrespeito à vida

HU da Ufal deixa faltar remédio para mulheres com câncer de mama desde dezembro

Dose que dá chance de sobrevivência às pacientes custa até R$ 300

HU da Ufal deixa faltar remédio para mulheres com câncer de mama desde dezembro

Hospital Universitário da Ufal. Foto: Ascom Ufal

Pacientes alagoanas tiverem seus tratamentos contra o câncer de mama interrompidos desde o início de dezembro, por que o Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA) deixou faltar o medicamento Vinorelbina 30 mg. Ausente da Unidade Farmacêutica Clínica do HU da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), uma dose do medicamento que dá chance de sobrevivência aos pacientes custa até R$ 300 no mercado. E tem paciente que toma pelo menos quatro comprimidos por semana para o controle da doença.

Uma das pacientes afetadas pelo descaso vai acionar a Defensoria Pública da União para que as autoridades ajuízem uma ação que restabeleça o abastecimento de forma definitiva. Ela teve que desembolsar R$ 800 reais, após obter um desconto, para adquirir no mercado quatro doses do remédio para seu tratamento. E se sente angustiada com as demais pacientes que não tiveram condições de acesso aos remédios e teme que a doença venha a progredir pela irresponsabilidade dos gestores do HU da Ufal.

“Sinto falta de compromisso com as pessoas que fazem tratamento. Me sinto angustiada e muito preocupada por ver que a doença pode ter uma progressão maior, visto que com o último exame que fiz ela estava dando estável. E preocupo não só comigo como com as outras pessoas também que têm tomar essa medicação e não conseguiram pegar”, relatou a paciente que preferiu não se identificar para o Diário do Poder, pela situação de vulnerabilidade vivida desde julho de 2018, quando foi diagnosticada e iniciou o tratamento.

Em nota, a assessoria do HU da Ufal culpou o necessário processo de pregão para legalizar compras na administração pública e alegou que o desabastecimento do item essencial à vida das pacientes ocorreu devido ao “aumento da demanda de pacientes oncológicos em tratamento no Centro de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon) do HU”. Informou ainda que a empresa fornecedora, que é de Brasília (DF), teria informado ao hospital que será abastecido com a medicação no prazo de 15 dias.

O Ministério Pùblico Federal (MPF) também deve ser acionado para tomar providências quanto ao caso.

Confira a íntegra da nota do HU:

O Hospital Universitário Professor Alberto Antunes informa sobre a falta do medicamento Vinorelbina, utilizado no tratamento de pacientes com câncer de mama. 

A Unidade Farmacêutica Clínica do HU esclarece que o atraso no fornecimento do fármaco se deu pelo processo de pregão, que é o procedimento adotado para aquisição de medicamentos e insumos para instituições públicas. O desabastecimento do medicamento se deu, ainda, pelo aumento da demanda de pacientes oncológicos em tratamento no Centro de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon) do HU. 

Em 2017, o Hospital adquiriu 324 cápsulas do fármaco, enquanto em 2018, com o aumento da demanda, foram necessárias 555 cápsulas para atender aos pacientes em tratamento. 

Em contato com a empresa fornecedora, que é de Brasília, o Hospital foi informado que será abastecido com a medicação no prazo de 15 dias.

Davi Soares
Davi Soares
| Atualizado