Mais Lidas

Grupo dos 20

Líderes do G20 exaltam trabalho de profissionais da saúde na luta contra à Covid-19

Em nota, o grupo ressalta à importância da união na recuperação da economia e da saúde mundial

acessibilidade:
Neste ano, o evento ocorreu em Roma, entre os dias 30 e 31 de outubro Foto: Twitter G20

Após o fim das reuniões entre os líderes do Grupo dos 20, o G20, que reúne cerca de 80% da economia mundial, foi divulgada, nesta terça-feira (2), uma nota oficial que pontua as principais decisões, e os desafios globais para fomentar o crescimento sustentável e inclusivo mundial. Os problemas climáticos também estiveram presentes nos debates.

Os membros do G20 são os seguintes países: África do Sul; Alemanha; Arábia Saudita; Argentina; Austrália; Brasil; Canadá; China; Coreia do Sul; Estados Unidos; França; Índia; Indonésia; Itália; Japão; México; Reino Unido; Rússia e Turquia.

O texto também enaltece o trabalho dos profissionais de saúde que lutaram para conter a propagação do novo coronavírus mundialmente.

Neste ano, o evento ocorreu em Roma, entre os dias 30 e 31 de outubro. “Como o principal fórum para cooperação econômica internacional, estamos empenhados em superar a crise econômica e de saúde global decorrentes da pandemia, que afetou bilhões de vidas, dificultou drasticamente o progresso na realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, interrompeu as cadeias de abastecimento globais e dificultou a mobilidade internacional. Com isso em mente, expressamos nossa profunda gratidão aos profissionais de saúde, trabalhadores da linha de frente, organizações internacionais e comunidade científica por seus esforços incansáveis ​​para lidar com a COVID-19′.

O texto traz a preocupação pela busca de soluções eficazes para a recuperação global. ” Tomamos medidas decisivas para apoiar os países que mais precisam superar a pandemia, melhorar sua resiliência e enfrentar desafios críticos, como garantir a segurança alimentar e a sustentabilidade ambiental. Concordamos com uma visão compartilhada para combater a mudança climática e demos passos importantes para o alcance da igualdade de gênero. Também avançamos ainda mais em nossos esforços comuns para garantir que os benefícios da digitalização sejam amplamente compartilhados, com segurança, e contribuam para a redução das desigualdades.

E entre outros pontos, trata também da ameaça que assola o mundo com o desequilíbrio climático. “Respondendo ao apelo da comunidade científica, observando com preocupação os relatórios recentes do IPCC e cientes de nosso papel de liderança, nos comprometemos a enfrentar a ameaça crítica e urgente da mudança climática e a trabalhar coletivamente para alcançar o sucesso da UNFCCC COP26 em Glasgow. Para tanto, reafirmamos nosso compromisso com a implementação plena e efetiva da UNFCCC e do Acordo de Paris, tomando medidas de mitigação, adaptação e financiamento durante esta década crítica, com base no melhor conhecimento científico disponível, refletindo o princípio de responsabilidades comuns mas diferenciadas e respectivas capacidades, à luz das diferentes circunstâncias nacionais. Continuamos comprometidos com a meta do Acordo de Paris de manter o aumento da temperatura média global bem abaixo de 2 ° C e envidar esforços para limitá-lo a 1,5 ° C acima dos níveis pré-industriais, também como um meio de possibilitar o cumprimento da Agenda 2030”.

A nota enviada à imprensa mundial é longa, e traz outros temas como: Economia global, Saúde, Desenvolvimento sustentável, Apoio a países vulneráveis, Arquitetura Financeira Internacional, entre outros. Leia a nota na integra.

 

Reportar Erro