Mais Lidas

Multidão nas ruas

De volta à Venezuela, Juan Guaidó propõe formar governo de transição

Presidente interino foi recebido por multidão nas ruas de Caracas

acessibilidade:
Considerado por mais de 50 países "presidente encarregado" da Venzuela, Juan Guaidó é festejado ao retornar a Caracas. (Foto Twitter de Juan Guaidó)

O presidente interino da Venezuela Juan Guaidó desembarcou no aeroporto internacional Simon Bolívar, por volta das 12h22 (13h22 em Brasília) desta segunda-feira (4). “Entramos na Venezuela como cidadãos livres, que ninguém nos diga o contrário”.

Em Caracas, ele foi recebido por uma multidão, que atendeu ao seu pedido pela mobilização nacional. Os atos ocorreram também em várias cidades do interior.

Em seu discurso Guaidó ressaltou a necessidade de um governo de transição. “Vamos com tudo até conseguir a liberdade do nosso país”.

O venezuelano agradeceu a população pela recepção.“Obrigado a todos pelo carinho e o calor imenso que nos receberam. Convoco o país para uma nova mobilização no sábado, 9 de março. Todo o apoio que recebemos e o respaldo que necessitamos dependem de nos mantermos nas ruas”.

Assim que pisou em terras venezuelanas, Guaidó informou a todos por meio de sua conta no Twitter. “Já em nossa terra amada. Venezuela, acabamos de passar pela imigração e vamos nos mobilizar para onde está o povo”.

Guaidó utilizou sua conta no Twitter para agradecer o apoio internacional que recebeu durante esses 11 dias em que viajou pela América do Sul. “Agradecemos aos embaixadores da Argentina, do Brasil, do Canadá, do Chile, do Peu, do Equador, dos Estados Unidos, da Alemanha, da Espanha, da França, dos Países Baixos, de Portugal e da Romênia, que nos acompanharam na nossa chegada à Venezuela em uma demonstração firme do compromisso do mundo com a nossa democracia”.

O Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) do país havia proibido, no dia 29 de janeiro, a saída de Guaidó da Venezuela. Por isso, havia temor sobre sua volta ao país pelas ameaças de prisão e ações por parte de autoridades ligadas a Nicolás Maduro.

Em Caracas, Guaidó foi recebido por uma multidão, que se mobilizou para apoiá-lo. (Foto: Twitter)

Reportar Erro