EUA

Alagoana morta por policial nos EUA pode ser sepultada como indigente

Polícia de San Bernardino quer sepultar Gleise sem investigar sua morte

acessibilidade:
Gleise Graciela Firmiano. Fotos: Arquivo Pessoal
Gleise Graciela Firmiano. Fotos: Arquivo Pessoal

A polícia de San Bernardino, no estado da Califórnia (EUA), pressiona o IML local (Deputy Coroner’s Office) a sepultar às pressas e como indigente a modelo brasileira Gleise Graciela Firmiano, que foi assassinada a tiros numa abordagem policial em janeiro que permanece mal explicada. As informações são de fontes próximas à família da vítima.

Ativistas brasileiros nos EUA acusam autoridades americanas de tentar apagar qualquer vestígio que permita a análise do corpo da brasileira antes do traslado para a cidade de Porto Real do Colégio, em Alagoas, onde a família quer sepultar Gleise.

A família, inclusive, conseguiu junto ao Governo de Alagoas o pagamento das despesas do transporte, mas a empresa americana indicada, com a ajuda do Consulado Brasileiro em Los Angeles, alega”dificuldade burocrática” para receber o pagamento e está atrasando a operação.

O Itamaraty foi acionado.

Reportar Erro