Mais Lidas

Saindo do atraso

Carta abre portas da OCDE ao Brasil, que só precisa confirmar adesão a seus valores

acessibilidade:
Embaixador Carlos França, ministro das Relações Exteriores, com o presidente Jair Bolsonaro - Foto: Marcos Corrêa/PR.

O Brasil dá hoje um passo largo para finalmente ingressar na OCDE, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico.

O norte-americano Mathias Cormann, secretário-geral da entidade, enviou carta ao governo brasileiro solicitando para confirmar o interesse em adotar os seus valores, com o objetivo de estabelecer uma economia aberta, moderna, sem entraves.

A confirmação do governo brasileiro, que será feita sem demora, encurta caminhos e prazos para ingresso na OCDE.

Cartas semelhantes foram enviadas a outros cinco países que, como o Brasil, pretendem ingressar Argentina, Peru, Romênia, Croácia e Bulgária.

O envio da carta foi uma decisão unânime do Conselho de Embaixadores, e por essa razão o secretário-geral da OCDE a endereçou aos respectivos governos dos seis países.

Os valores aos quais o Brasil vai aderir incontinenti estão inscritos na 60th Annniversary New Vision Statement (Declaração de Nova Visão do 60º Aniversário) e na Declaração Ministerial do Conselho sobre o tema.

Esses documentos, segundo explicou o chanceler Carlos França ao Diário do Poder, foram adotados na reunião ministerial da OCDE, em outubro de 2021, em Paris, da qual ele participou chefiando a delegação brasileira, juntamente com o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, e outras autoridades.

Ativistas contrários ao governo brasileiros chegaram a divulgar, na ocasião, a fake news de que França não teria sido recebido pelo chanceler francês, encontro que não estava previsto e nem sequer foi solicitado ou negociado.

Como sinal da importância do fato, uma declaração pública foi marcada para as 17h, no salão Leste do Palácio do Planalto, com a participação dos ministros Carlos França (Relações Exteriores), Paulo Guedes (Economia) e Ciro Nogueira (Casa Civil), sobre o recebimento da carta convite para acessão do Brasil à OCDE.

Reportar Erro