Exteriores


Últimas Notícias


20/11/2018

Juiz bloqueia ordem de Trump que proibia imigrantes de requisitarem asilo

Fronteira

Juiz bloqueia ordem de Trump que proibia imigrantes de requisitarem asilo

Medida tinha como alvo a caravana de imigrantes que se encontra atualmente em Tijuana, na fronteira entre México e EUA

O juiz federal norte-americano Jon Tigar, da cidade de São Francisco, bloqueou temporariamente a ordem do governo de Donald Trump que proibia que imigrantes que entrassem ilegalmente nos Estados Unidos pela fronteira com o México requisitassem asilo em terras norte-americanas. A decisão do juiz entrou em vigor na noite desta segunda (19) e é válida até 19 de dezembro, quando deve ocorrer uma nova sessão para debater o assunto. A medida da Casa Branca tinha como alvo a caravana de imigrantes vindos da América Central que atualmente se encontra em Tijuana, na fronteira entre o México e a cidade norte-americana de San Diego. Os integrantes do grupo pretendem entrar no país para pedir asilo. Normalmente, os imigrantes entram no país ilegalmente para então fazerem o pedido, o que permite que eles continuem livres enquanto aguardam uma decisão. Com a ordem de Trump, esses imigrantes ilegais teriam que fazer o pedido nos postos oficiais na fronteira entre os dois países e aguardar uma resposta antes de entrar nos Estados Unidos. Essas decisões costumam levar meses para serem tomadas. Organizações de diretos humanos e de defesa dos imigrantes entraram na Justiça contra a medida do governo norte-americano. Em sua decisão, o juiz afirma que o Congresso do país decidiu que os imigrantes podem pedir asilo independentemente de como entraram nos Estados Unidos. “Independentemente do escopo da autoridade do presidente, ele não pode reescrever leis de imigração para impor condições que o Congresso expressamente proibiu”, declarou o magistrado. (Com inforamações da FolhaPress)
20/11/2018

‘Mais Médicos’ nasceu de uma mentira para render R$7,1 bilhões a Cuba

Tudo na mesma

‘Mais Médicos’ nasceu de uma mentira para render R$7,1 bilhões a Cuba

Ditadura cubana faturou muito tratando seus médicos como escravos

O “Mais Médicos” foi baseado na mentira de que não haveria médicos para atender todo o País. O Brasil dispõe de 450 mil médicos, portanto, a saída dos 8,3 mil cubanos não vai alterar a qualidade do atendimento. A mentira do governo Dilma seria desmascarada em vídeo de palestra interna, no Ministério da Saúde, deixando claro que o real objetivo do programa era apenas financiar o governo de Cuba. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. O programa “Mais Médicos” rendeu à ditadura cubana R$7,1 bilhões até agora, mas a saúde pública brasileira continua a mesma. Para vir ao Brasil submetendo-se a exploração análoga à escravidão, cubamos foram obrigados a deixar familiares como reféns, em Cuba. Resta aos cubanos a atitude digna de denunciar as atrocidades contra suas próprias famílias, feitas reféns, pedindo asilo ao Brasil em massa.
19/11/2018

México credencia 26 novas empresas brasileiras para exportarem carne de frango

Portas abertas

México credencia 26 novas empresas brasileiras para exportarem carne de frango

Exportação de frango para o México somou mais de meio bilhão de reais entre janeiro e outubro

O Ministério da Agricultura informou hoje (19) que foram habilitados 26 novos estabelecimentos no país para exportar carne de frango para o México. Segundo o ministério, a habilitação ocorreu depois de auditoria realizada por autoridades mexicanas em agosto deste ano e representa aumento de 130% no número de plantas aptas para exportar carnes de aves para o México. Agora, são 46 estabelecimentos habilitados no país. De janeiro a outubro de 2018, o volume de exportações de carne de frango do Brasil para o México atingiu a soma de US$ 138 milhões. No ano passado, as vendas externas para o país da América do Norte somaram US$ 185 milhões. Ao lado dos Estados Unidos e do Chile, o Brasil está entre os principais fornecedores de carne de frango para o México. As importações representam mais 13% do consumo de carne de frango no México, que produz 3,9 milhões de toneladas por ano e importa mais 640 mil toneladas. O Ministério da Agricultura informou também que ainda este ano outra missão mexicana virá ao Brasil para avaliar a habilitação de novos estabelecimentos para exportar carne bovina termoprocessada.
19/11/2018

Brasil tem matriz energética menos poluente entre as grandes economias

Sustentabilidade

Brasil tem matriz energética menos poluente entre as grandes economias

País é “estrela ascendente no uso sustentável da energia”, diz AIE

O Brasil é o país que apresenta a matriz energética menos poluente entre os grandes consumidores globais de energia, sendo a nação com maior participação de fontes renováveis, mostra o Relatório sobre Mercado de Energias Renováveis 2018 da Agência Internacional de Energia (AIE). Segundo o estudo, o país deverá somar quase 45% de fontes renováveis no consumo final de energia em 2023, principalmente em função da bionergia nos transportes e na indústria e da hidroeletricidade, no setor elétrico. Atualmente, esse percentual corresponde a cerca de 43%. Para o diretor executivo da AIE, Faith Birol, o Brasil é “a estrela ascendente no uso sustentável da energia”. “A enorme parcela de renováveis na matriz energética brasileira é uma fonte de inspiração para muitos países em todo o mundo. A ênfase que o governo brasileiro tem colocado nas energias sustentáveis é única”, disse Birol, em mensagem enviada para o lançamento do relatório no Brasil no Palácio Itamaraty. O analista de Mercados de Energias Renováveis da AIE, Heymi Bahar, também destacou a liderança do Brasil na energia renovável. “Queremos que outros países sigam os passos do Brasil na questão dos renováveis para cumprir os compromissos do Acordo de Paris [sobre mudanças climáticas]. O país tem muito a mostrar ao mundo”, disse Bahar, um dos principais autores do documento. O relatório indica que o ano de 2020 será “crucial” para as políticas de biocombustíveis ao redor do mundo pois entrará em vigor na China a mistura obrigatória de 10% de etanol à gasolina. Além disso, no Brasil, prevê-se que a Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio), regulamentada este ano, fortalecerá as bases econômicas da produção de biocombustíveis, acelerando os investimentos em nova capacidade instalada e na produção de usinas existentes. Ainda segundo o estudo, até 2020, a política de biocombustíveis recentemente anunciada na Índia também deverá resultar em aumento da produção. De acordo com o levantamento, a bioenergia moderna (etanol, biodiesel) representou 50% do consumo energético global oriundo de fontes renováveis no ano passado, quatro vezes mais que as fontes solar fotovoltaica e eólica combinadas. Em 2023, segundo a projeção da AIE, a bioenergia deverá permanecer como a principal fonte de energia renovável, “embora sua participação proporcional deva diminuir ligeiramente, devido à expectativa de aceleração da expansão das fontes eólica e solar fotovoltaica no setor elétrico”. O relatório projeta que a participação de fontes renováveis na demanda energética global deverá aumentar para 12,4% em 2023, um quinto a mais que no período 2012-2017, e que as energias renováveis vão responder por cerca de 40% do crescimento do consumo energético mundial projetado para os próximos cinco anos. O subsecretário-geral de Meio Ambiente, Energia, Ciência e Tecnologia do Ministério das Relações Exteriores, embaixador José Antonio Marcondes, destacou a importância da plataforma para o Biofuturo, iniciativa multilateral de 20 países para promoção da bioeconomia sustentável de baixo carbono, concebida pelo governo brasileiro e lançada em 2016. Marcondes disse que a iniciativa multilateral já contribui para estimular mudanças positivas em vários países, como na China, que anunciou recentemente plano de implementar a política nacional de mistura de etanol; no Canadá, onde está em elaboração um plano que “será exemplo de política sofisticada de redução de carbono na matriz de transportes”, e na Índia, que manifestou interesse em investir em biorrefinarias avançadas. “O relatório mostra que o Brasil fez escolhas corretas, com políticas de estímulo ao uso do biocombustível, que tem expressões no plano interno, com a RenovaBio, e no plano externo, na plataforma do Biofuturo, na qual o Brasil exerce papel de liderança”, disse o embaixador. (ABr)
19/11/2018

Ex-CEO e presidente do conselho da Nissan, brasileiro Carlos Ghosn é preso no Japão

Crimes financeiros

Ex-CEO e presidente do conselho da Nissan, brasileiro Carlos Ghosn é preso no Japão

Executivo é suspeito de ter cometido fraude fiscal

A Promotoria de Justiça de Tóquio, no Japão, prendeu o ex-CEO da Nissan Motor Carlos Ghosn por suspeita de irregularidades na declaração de lucros. Nas declarações, ele afirmou ter recebido menos do que realmente ocorreu. O executivo reduziu os ganhos em 33%. Natural de Guajara-Mirim, Rondônia, Carlos Ghosn, de 64 anos, ocupava a direção-geral do Grupo Renault-Mitsubish. De acordo com a Promotoria de Justiça de Tóquio, a remuneração de Ghosn totalizou quase 1,1 bilhão de ienes, ou cerca de US$ 9,7 milhões de dólares, no ano fiscal de 2016. Porém, para o ano fiscal de 2017, o executivo relatou um total de 730 milhões de ienes – queda de 33%. Ghosn foi diretor da montadora em 1999, anos depois tornou-se presidente da Nissan. Ele foi incumbido de supervisionar a empresa. No ano passado, Ghosn se aposentou como presidente e CEO da Nissan. O grupo vendeu mais de 10,6 milhões de unidades no ano passado, superando a Toyota como o segundo maior vendedor de automóveis do mundo. (ABr)
19/11/2018

Traficante é extraditado de surpresa pelo Paraguai para o Brasil

Bandido repatriado

Traficante é extraditado de surpresa pelo Paraguai para o Brasil

No sábado, ele esfaqueou 17 vezes na cela uma jovem de 18 anos

O brasileiro Marcelo Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, acusado de tráfico internacional, falsidade ideológica e homicídios, foi extraditado hoje (19) do Paraguai para o Brasil. Segundo a imprensa do Paraguai, ele deixou o país em uma aeronave do Grupo Aerotático da Força Aérea Paraguaia às 5h05. A confirmação da expulsão foi feita pelo presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez, em um post no Twitter. Traficante confesso, Marcelo Piloto fugiu do Brasil depois de ser condenado a 26 anos de reclusão. A extradição do brasileiro foi cercada de sigilo e segurança envolvendo três barcos de patrulha das Forças Operacionais Especiais de Polícia (FOPE), segundo a imprensa do Paraguai. No sábado (17), Marcelo Piloto esfaqueou 17 vezes na cela em que estava uma jovem, de 18 anos, que foi visitá-lo. Autoridades paraguaias acreditam que ele cometeu o crime na tentativa de evitar a extradição para o Brasil. Piloto foi preso na cidade de Encarnación, no Paraguai, em 2017, após a descoberta que estava usando documentos falsos. (ABr)
19/11/2018

Futuro ministro Ernesto Araújo promete buscar falcatruas de Celso Amorim

Bateu, levou

Futuro ministro Ernesto Araújo promete buscar falcatruas de Celso Amorim

Ernesto Araújo não deixa 'Megalonanico' sem resposta

O embaixador Ernesto Araújo, futuro ministro das Relações Exteriores do governo Jair Bolsonaro, prometeu neste domingo (18), em mensagem na cinta do Twitter que criou recentemente, um “exame minucioso” da política externa do PT “em busca de possíveis falcatruas”. É uma resposta às críticas feitas à sua escolha pelo ex-chanceler petista Celso Amorim, cuja atuação lhe rendeu apelidos como “megalonanico” e “anão caspento”. dEle disse que a indicação de Araújo representaria “um retorno à Idade Média”. !Celso Amorim diz que represento um retorno à Idade Média”, escreveu Araújo. “Não entendi se é crítica ou elogio, mas informo que não retornaremos à Idade Média, pois temos muito a fazer por aqui, a começar por um exame minucioso da ‘política externa ativa e altiva’ em busca de possíveis falcatruas”. Bolsonaro definiu seu futuro chanceler como diplomata de carreira há 29 anos (na verdade são 27)  e um “brilhante intelectual”. O futuro chanceler atualmente é diretor do Departamento dos Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos. Durante toda a campanha eleitoral, Bolsonaro bateu na tecla de que buscaria manter relações com outros países “sem viés ideológico”. Disse reiteradas vezes, por exemplo, que incentivaria a China a “comprar no Brasil, não a comprar o Brasil”.
18/11/2018

Governo da Argentina diz que não há tecnologia para retirar submarino

ARA San Juan

Governo da Argentina diz que não há tecnologia para retirar submarino

O ministro de Defesa afirmou que o equipamento pesa 2,3 mil toneladas

O ministro de Defesa da Argentina, Oscar Aguad, afirmou neste domingo (18) que não existe tecnologia capaz de retirar o submarino ARA San Juan, localizado ontem (17) a 900 metros de profundidade no Oceano Atlântico. “A Argentina não conta com meios técnicos para resgatar ou emergir o submarino. Não deve haver no mundo tecnologia para retirar 2,3 mil toneladas de peso do fundo do mar”, afirmou Aguad. Em entrevista à Rádio Mitre, o ministro explicou que o governo tem dinheiro para contratar uma empresa especializada nesse tipo de operação, caso necessário, e ressaltou que se houver tecnologia para fazer a retirada, o processo deve demorar muitos anos. “É um equipamento de 2,3 mil toneladas”, reiterou o ministro. Criticado pelos parentes dos 44 tripulantes que estavam a bordo do submarino na hora do desaparecimento há mais de um ano, Aguad ressaltou que sempre disse a verdade aos familiares das vítimas e que a localização da embarcação é uma prova disso. “Ele afundou por uma implosão, não por fatores externos. Não estou e nem estive em condições de mentir aos familiares. Não temos capacidades técnicas para trazê-lo do fundo do mar”, afirmou. Perguntado sobre a responsabilidade jurídica do governo em resgatar o submarino, o ministro disse que a juíza responsável pela investigação do desaparecimento, Marta Yáñez, terá papel fundamental na decisão. No entanto, reconheceu que não considera que ela tenha poder para decidir uma questão desta natureza. “Sobre a busca, esse caso terminou porque ficou provado que o submarino implodiu e naufragou duas horas depois da última comunicação. Resta determinar quais são as responsabilidades da Marinha”, explicou o ministro.(EFE/ABr)
18/11/2018

Presidente reafirma que médicos cubanos são escravos da ditadura

Ditadura cubana

Presidente reafirma que médicos cubanos são escravos da ditadura

Não podemos admitir escravos no Brasil, diz Bolsonaro

O presidente eleito Jair Bolsonaro voltou a afirmar hoje (18) que Cuba submete seus profissionais, vinculados ao programa Mais Médicos, a uma situação de “trabalho análogo a escravidão”. Ele também afirmou que alguns prefeitos, que reclamam da saída dos cubanos, querem se eximir de responsabilidades. “A prefeitura mandou embora seu médico para pegar um cubano. Quer ficar livre da responsabilidade. A Saúde [municipal] também tem sua responsabilidade”, afirmou Bolsonaro, que foi à  Arena Carioca 1, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro acompanhar as finais do evento de Jiu-Jitsu Abu Dhabi Grand Slam Rio. Bolsonaro acrescentou que ainda não é o presidente, mas que “dia 1º vamos apresentar [uma solução para a saída dos médicos cubanos]. Não podemos admitir escravos cubanos no Brasil nem continuar alimentando a ditadura cubana também”. O presidente eleito reiterou o que disse há dois dias, lembrando que muitos cubanos deixam para trás as famílias, pois não podem trazê-las para o Brasil e são obrigados a repassar 70% dos salários para o governo de Cuba. Reações A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) divulgou nota neste domingo alertando sobre o impacto da saída dos médicos cubanos. O grupo cita a presença dos profissionais em 2,8 mil municípios e destaca que em 611 municípios todos os médicos atuantes eram cubanos. De acordo com a entidade, as dificuldades de lotação e fixação de médicos em áreas de difícil acesso ou de alta vulnerabilidade social é um problema histórico e estrutural do sistema de saúde brasileiro que começou a melhorar em 1994, com a implantação da Estratégia Saúde da Família (ESF) e, especialmente em 2013, quando foi criado Programa Mais Médicos para o Brasil (PMMB). Ao elencar os avanços do programa, a Abrasco ainda cita uma série de sugestões de medidas para que o governo evite prejuízos à população como a imediata negociação com Cuba, a abertura do processo de chamada pública de médicos para as vagas desocupadas pelos cubanos e a implantação de proposta de carreira pública para os profissionais de saúde que optarem pela dedicação ao SUS. Exames Bolsonaro confirmou que irá a São Paulo, no próximo dia 23, para se submeter a exames pré-operatórios para a retirada da bolsa de colostomia. No sábado (24) ele segue para o Rio de Janeiro. “Estarei na minha Brigada de Infantaria Paraquedista [no Rio] onde verei milhares de colegas que serviram comigo naquela grande unidade”, afirmou. O presidente eleito afirmou que terá uma agenda intensa em Brasília, a partir de terça-feira (20), e defendeu a união dos poderes para buscar soluções para os problemas do país: “Temos que nos unir. Não posso governar sozinho. O Executivo apesar de falar que é um Poder independente, em grande parte depende do Parlamento brasileiro. Temos que nos aproximar e muito do Parlamento”, disse. Em seguida, Bolsonaro detalhou que irá ao Tribunal de Contas da União e também à Controladoria Geral da União. “Esta semana continuam mais visitas protocolares às instituições para demonstrar não só nossa humildade bem como a vontade de governar junto o Brasil. Ao deixar a Arena 1, o presidente eleito parou em um quiosque, na Barra da Tijuca, onde tomou água de coco, tirou fotos e cumprimentou quem passava pelo local.(ABr)
18/11/2018

Secretário-geral da OEA parabeniza futuro chanceler brasileiro

Política externa

Secretário-geral da OEA parabeniza futuro chanceler brasileiro

Lus Almagro diz que espera trabalhar em conjunto com o chanceler pela "democracia no hemisfério”

O secretário Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, parabenizou a escolha do embaixador Ernesto Fraga Araújo para assumir o Ministério das Relações Exteriores no futuro governo Jair Bolsonaro. Na sua conta no Twitter, Almagro disse que a instituição esperar trabalhar junto com o diplomata em favor da democracia na região. “Hoje apresentei meus parabéns ao chanceler da #Brasil @ernestofaraujo com o compromisso de trabalhar juntos na OEA pela democracia no hemisfério”, destacou Almagro nas redes sociais. Araújo, que atualmente ocupa a diretoria do Departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Itamaraty, agradeceu os cumprimentos também usando a rede social e se comprometeu com a parceria. “Somaremos esforços na defesa da democracia e da dignidade em todo o continente”, reagiu o futuro ministro das Relações Exteriores. O nome de Ernesto Araújo foi anunciado por Jair Bolsonaro no último dia 14. O presidente eleito classificou o diplomata como “um brilhante intelectual” e disse que a política externa brasileira tem que ser parte “do momento de regeneração que o Brasil vive hoje”. (ABr)