Quer MP aliado

Renan Filho nomeia filho do chefe do MP para autarquia, após crise com deputados

Governador busca aliança política e legitimação, mas Alfredo Gaspar nega ter aliados

Renan Filho nomeia filho do chefe do MP para autarquia, após crise com deputados

Chefe do MP Alfredo Gaspar, governador Renan Filho e Carlos Mendonça Neto. Fotos: Ascom MP e Divulgacão

Em uma crise inédita com o Legislativo, o governador Renan Filho (MDB) nomeou o jovem advogado Carlos Alberto Pinheiro de Mendonça Neto como presidente da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal). A nomeação foi publicada ontem (10), na véspera da posse de seu pai, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, para mais um biênio à frente do Ministério Público Estadual de Alagoas (MP/AL).

Carlos Mendonça Neto é pré-candidato a prefeito de Quebrangulo (AL) e a classe política vê a escolha do governador como uma tentativa de ter o procurador-geral de Justiça como seu aliado político, bem como de demonstrar proximidade com o poder fiscalizador de seu governo, a fim de legitimar suas ações.

O chefe do MP afirma que a nomeação de seu filho para a autarquia não passou pelo seu crivo. E lembra que Carlos Mendonça Neto participou da campanha de Renan Filho e tomou a decisão de aceitar esse convite por conta própria.

“Antes de ser procurador-geral de Justiça, fui secretário de segurança do governo atual, e isso em nada alterou minha independência. A Instituição Ministério Público Estadual tem feito um grande trabalho de combate à corrupção e de transformação social, e cada vez mais, apertará esse cerco. O chefe do MP não tem aliados ou inimigos. As condutas e os fatos produzidos pelas pessoas é que norteiam nossa atuação.”, disse Alfredo Gaspar ao, ao ser questionado pelo Diário do Poder sobre o viés político da nomeação.

Um dos deputados governistas avaliou a nomeação também como uma forma de Renan Filho tentar blindar seu governo de críticas à atuação da ADEAL na defesa sanitária animal e vegetal, e no controle e inspeção de produtos de origem agropecuária. Tais críticas foram comuns em seu primeiro mandato, quando a Adeal participou das operações da Fiscalização Preventiva Integrada da Bacia Hidrográfica do São Francisco, a FPI do São Francisco, que já sob a coordenação do MP, fechou laticínios, criatórios e matadouros de animais e apreendeu produtos fora dos padrões legais.

Projeção política

O filho do chefe do MP de Alagoas tem interesses políticos bem definidos para as eleições municipais de 2020, que podem ser favorecidas pela projeção de sua atuação à frente da Adeal, junto ao setor do campo. Em dezembro de 2018, o filho do procurador Alfredo Gaspar participou de confraternização do diretório municipal do PSL em Quebrangulo e colocou seu nome à disposição para disputar um mandato de prefeito. No ano passado, o pai de Carlos Mendonça Neto tentou viabilizar sua candidatura a senador por Alagoas, numa disputa contra a reeleição de Renan Calheiros (MDB-AL). Mas desistiu de renunciar à carreira no MP por não ter um nome competitivo para uma cabeça de chapa de oposição contra Renan Filho.

Veja o discurso de Carlos Mendonça Neto, diante dos integrantes do partido do presidente Bolsonaro:

Por meio de sua assessoria, o governador não respondeu se a nomeação do filho de Alfredo Gaspar para comandar a Adeal passa pela busca de ter o chefe do MP como aliado político.

Renan Filho vive uma crise com a maioria de sua bancada no parlamento, e retalia deputados aliados por não conseguir apoio ao seu tio Olavo Calheiros (MDB-AL) para presidir a Assembleia Legislativa.

Alfredo Gaspar preside o Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC), colegiado que integra o Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG), composto por membros dos Ministérios Públicos Estaduais e da União. Ele toma posse na noite desta sexta (11), em seu segundo mandato de procurador-geral de Justiça de Alagoas.

Davi Soares
Davi Soares
| Atualizado