Decisão do TRE-RJ

Romário perde ação que tentava proibir Clarissa de elogiar Bolsonaro

Senador do PL é acusado de "esconder" Bolsonaro, ao contrário de Clarissa

acessibilidade:
Clarissa Garotinho (União Brasil) agitando a bandeira do Brasil: defesa de Bolsonaro na campanha.

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) negou pedido do Partido Liberal para que a deputada Clarissa Garotinho (União Brasil), candidata ao Senado, retirasse de propaganda eleitoral da TV e de suas redes sociais, demonstrações de proximidade com o presidente Jair Bolsonaro, inclusive alegando ter a confiança do chefe do Poder Executivo.

O PL é o partido do senador Romário, que busca a reeleição com apoio do campo conservador, mesma estratégia adotada pela postulante do União Brasil. A decisão foi do último dia 31. Mas o ex-jogador de futebol é acusado de nãoi citar Bolsonaro em sua campanha.

A representação foi indeferida pela desembargadora Márcia Ferreira Alvarenga, que não viu na propaganda eleitoral da campanha de Clarissa as restrições estabelecidas no Artigo 54 da Lei das Eleições, uma vez que não fica configurada “propaganda cruzada”, mas sim “uso promocional de afinidades políticas já existentes”.

O teor da decisão impôs dupla derrota a Romário. A primeira delas é judicial. Os advogados do PL chegaram a alegar que as peças estariam induzindo o eleitor a supor “que ambos (Clarissa e Bolsonaro) sejam filiados ao mesmo partido ou integrantes da mesma coligação”.

A alegação foi rejeitada pela magistrada. A segunda derrota tem efeito simbólico. Com Romário “escondendo” Bolsonaro em sua campanha, Clarissa, ao contrário, tem procurado defender o presidente quase todos os dias na TV, no rádio e nas redes sociais.

Clarissa também vem apresentando propostas mais alinhadas com o campo conservador de direita do que Romário. O principal mote da campanha dela é a defesa da “castração química para estupradores e pedófilos”.

Somando-se isso à defesa de Bolsonaro, ela conseguiu o maior crescimento dentre todos os candidatos, desde que começou o horário eleitoral gratuito de TV e rádio, em 26 de agosto. De acordo com pesquisa Datafolha do último dia 1, dobrou o percentual de intenções de votos para ela, de 4% para 8%, em comparação à pesquisa anterior, do dia 18.

“Nos últimos meses, quase todas as vezes que o Bolsonaro esteve em um evento importante no Rio, eu estava junto. Na ida dele a Petrópolis, durante a tragédia que atingiu a cidade; na Marcha para Jesus; na visita a Itaboraí, no Gaslub; na ida dele a São João da Barra, para lançamento da pedra fundamental de uma nova usina movida a gás; na solenidade para anúncio de regularização de terras, no Cristo Redentor. Estar ao lado dele é um orgulho para mim”, disse Clarissa.