Eleições 2022

Após pesquisa, buscas na internet podem mostrar incerteza do voto em Haddad

Google Trends mostra que cresceram em 140% buscas de notícias negativas sobre o ex-prefeito

acessibilidade:
Fernando Haddad, ministro da Fazenda critica cobrança do governador de Minas Gerais Romeu Zema (NOVO-MG). (Foto: Wilson Dias/ABr)

A divulgação da pesquisa Datafolha apontando um salto de 4 pontos percentuais nas intenções de voto para Rodrigo Garcia (PSDB), na disputa pelo governo de São Paulo, provocou um movimento significativo na internet.

Segundo o o Google Trends, plataforma que mede as pesquisas na plataforma, cresceram em 140% as buscas por “o que fez haddad como prefeito”. Isso apontaria para uma maior insegurança entre quem indica disposição de votar no petista.

A pesquisa, divulgada ontem (15), pode até apontar para um ponto de inflexão na corrida pelo Palácio dos Bandeirantes, segundo avalia a campanha tucana.

Fernando Haddad (PT) e Tarcísio de Freitas (Republicanos) cresceram um ponto percentual, para 36% e 22%, respectivamente, enquanto Rodrigo subiu de 15% par 19%, empatando tecnicamente com o candidato bolsonarista.

Os resultados da busca também não são favoráveis para Haddad. Entre os resultados, aparecem na primeira página notícias negativas como “Haddad exagera dados sobre sua gestão na Prefeitura de SP em sabatina do Estadão”, publicada em 19 de agosto no portal do veículo.

Também houve aumento de buscas para notícias como “Campanha de Haddad prioriza passado no MEC e escanteia legado como prefeito”, do Uol, em 15 de setembro, e “Como prefeito, Haddad melhorou contas, mas tropeçou em zeladoria e obras”, divulgada pela Folha em setembro de 2020.