No azul

Quase 80 mil veículos eletrificados foram emplacados no 1º semestre

Junho apresenta o terceiro melhor mês da série histórica, com quase 15 mil unidades comercializadas

acessibilidade:
GWM Haval H6.
Quase 80 mil veículos eletrificados foram emplacados no 1º semestre (foto: GWM).

Como mostramos no Top50 veículos mais emplacados do primeiro semestre no Brasil, quatro modelos eletrificados se destacaram e figuraram na lista. Os números apontados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, corroboram com os ótimos dados divulgados pela Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE).

Segundo a entidade, nos seis primeiros meses, foram emplacados quase 80 mil veículos eletrificados no Brasil (79.304, mais precisamente), o que representa um crescimento exponencial de 146% em relação ao primeiro semestre de 2023, quando 32.239 modelos foram comercializados.

Os dados atestam o momento aquecido da eletromobilidade no Brasil e confirmam a previsão da ABVE de que 2024 terminará com um novo recorde de emplacamentos, acima de 150 mil veículos eletrificados vendidos no ano, o que significará um crescimento em torno de 60% sobre os 93.927 do ano passado.

Já junho apresentou o terceiro melhor mês da série histórica da ABVE. No último mês, 14.396 veículos eletrificados foram emplacados no Brasil, alta de impressionantes 131% em comparação com o mesmo mês de 2023.

Com o resultado do primeiro semestre, o Brasil praticamente chegou à marca simbólica de 300 mil veículos leves eletrificados em circulação no país, desde 2012, início da série histórica da ABVE, são, segundo a entidade, exatamente 299.735 unidades até junho.

Os eletrificados incluem todas as tecnologias, com os MHEV (os chamados híbridos leves), o HEV (tradicional), PHEV (híbrido plug-in) e os BEV (elétricos). De acordo com a ABVE, os modelos plug-in (PHEV e BEV) dominam os emplacamentos.

De janeiro a junho de 2024, os BEV representaram 39% dos emplacamentos de eletrificados no país (31.204), os PHEV responderam por 29,5% (23.296). Ou seja, os plug-in, (BEV + PHEV), somaram nada menos do que 69% do mercado de eletrificados leves no período no Brasil. Os HEV ficaram com 23,2% das vendas (18.381) e os MHEV fecharam com 8% (6.423).

“Os números de junho e do primeiro semestre confirmam o excelente momento da eletromobilidade no Brasil, mas temos de ficar atentos aos perigos de retrocesso na rota de descarbonização e eficiência energética da matriz brasileira de transporte. Temos ouvido notícias preocupantes sobre a antecipação da alíquota de 35% do imposto de importação de veículos elétricos, que estava prevista pelo Governo Federal somente para julho de 2026. Entendemos que, a se confirmar, essa antecipação configuraria uma lamentável quebra das regras estabelecidas há apenas seis meses pelo próprio governo”, – afirma Ricardo Bastos, presidente da Abve.