Sobrou para o craque

Paraguai usa Ronaldinho para retaliar o Brasil, que mandou prender seu ex-presidente

Ordem de prisão foi contra Horácio Cartes, que ajudou na fuga do 'doleiro dos doleiros'

acessibilidade:
Policiais paraguaios expõem Ronaldinho e seu irmão algemados, levando-os a audiência na Justiça - Foto: reprodução das redes sociais.

Diplomatas brasileiros consideram que o Paraguai usa o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho, preso já há dez dias em Assunção como se fosse um bandido perigoso, para retaliar o recente decisão do juiz Marcelo Brêtas, do Rio, que mandou prender Horácio Cartes, ex-presidente do Paraguai. O plano era impor algo semelhante a algum político brasileiro de má fama, mas sobrou para o craque. Horácio Cartes é acusado de ajudar na fuga do “doleiro dos doleiros” Dario Messer, já preso. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Rico e influente, Cartes é foragido da “Operação Câmbio, Desligo”, do Brasil, mas não é incomodado no Paraguai, onde continua influente.

Cartes usa paixões nacionalistas e conexões no governo, na Justiça e na imprensa para difundir que sua prisão “fere a soberania paraguaia”.

Horácio Cartes multiplicou a fortuna inundando o mercado brasileiro de cigarros contrabandeados, e teria sido financiado pelo pai do doleiro.

Humilhando o craque, mantendo-o preso, o Paraguai tenta retaliar, além do mandado de Brêtas, um longo histórico de queixas do Brasil.

Reportar Erro