São Paulo

De olho na reeleição, Bruno Covas demite secretários em troca de apoio político

Uma das mudanças do prefeito de SP foi Educação para agradar ex-governador Márcio França

De olho na reeleição, Bruno Covas demite secretários em troca de apoio político

Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, realizou dança das cadeiras por apoio. Foto: Roberto Casimiro /Folhapress

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), realizou uma reforma no primeiro escalão atrás de apoio político de diferentes partidos para o restante de sua gestão e também preparar terreno já de olho na campanha à reeleição do ano que vem. Ele demitiu secretários, já nomeou os seus substitutos e novos adjuntos e exonerou dezenas de assessores em cargos de confiança.

Todas as trocas foram publicadas no Diário Oficial da cidade desta terça-feira, 8. A principal mudança está na Secretaria da Educação. Alexandre Schneider foi substituído pelo ex-secretário de Educação de Márcio França (PSB) no Governo de São Paulo, João Cury Neto, expulso do PSDB por aliados do atual governador João Doria (PSDB).

Em abril, Cury aceitou o cargo de secretário estadual de Educação da gestão França, o que foi entendido pelos tucanos ligados a Doria como apoio ao pessebista contra Doria na disputa eleitoral.

Reconhecido na área, Schneider conseguiu zerar a fila de pré-escola e superou a meta de colocar ao menos 50% das crianças em creches na atual gestão.

Covas começou a atual gestão paulistana como vice de Doria e virou prefeito da cidade em abril do ano passado, quando o então titular decidiu abandonar o cargo para disputar (e vencer) as eleições ao Governo de São Paulo.

MUDANÇAS

Nesta terça-feira, entre outras mudanças na prefeitura, Aloisio Pinheiro, membro do PRB, assume a pasta da Habitação. Pinheiro foi advogado do PRB e secretário do Meio Ambiente de Suzano, cidade da Grande São Paulo. Fernando Chucre, atual titular da pasta, deixa a Habitação para assumir a Secretaria de Urbanismo e Licenciamento. Heloísa Proença, atual titular de Urbanismo e muito próxima do mercado imobiliário, sairá do governo.

Parte dos secretários será trocada em uma dança das cadeiras na prefeitura, entre secretários, adjuntos e secretários-executivos. Cesar Boffa de Azevedo, secretário de Gestão, será trocado por sua adjunta, Malde Vilas Bôas. Boffa vai ser adjunto da pasta de Urbanismo e Licenciamento.

Affonso Massot foi exonerado do cargo de secretário das Relações Internacionais, e Luiz Alvaro Menezes assumirá o cargo temporariamente. Covas também exonerou ao menos 45 cargos comissionados.

Além dos arranjos com partidos para sua reeleição, Covas também prepara sua base para a votação de projetos importantes, como a operação urbana Jurubatuba, sem a qual a privatização do autódromo de Interlagos não deverá sair.

Na Câmara Municipal, o PRB, contemplado com a Secretaria de Habitação, é um dos partidos mais numerosos da base do prefeito, que conta com 43 de 55 vereadores. Com quatro vereadores, o PRB está atrás apenas de PT (9), PSDB (8) e DEM (5) em termos de representatividade na Câmara. (Com informações da FolhaPres)

Redação
Redação
| Atualizado