Mais Lidas

Categorias não contempladas

Senado analisará ampliação de grupos prioritários para vacina contra covid-19

O projeto foi aprovado pela Câmara dos Deputados na quinta-feira (17)

acessibilidade:
Mulher profissional de saúde de pé aplica vacina contra covid-19 no braço de outra profissional de saúde que está sentada. Ambas estão de máscara
Profissional da saúde recebendo vacina da Coronavac, em São Paulo. Foto: Governo de SP/Arquivo

O Senado deve apreciar o o Projeto de Lei 1.011/2020, aprovado pela Câmara na quinta-feira (17). A matéria amplia a lista de grupos prioritários no plano de vacinação contra a covid-19.

O projeto altera a Lei 14.124, de 2021, que trata das regras para a compra e aplicação de vacinas e aplicação no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19.

A matéria original, do deputado Vicentinho Júnior (PL-TO), incluía caminhoneiros e profissionais de transportes de carga no grupo prioritário. A lista foi ampliada tanto no texto-base do substitutivo da deputada Celina Leão (PP-DF), aprovado no dia 31 de março, quanto nos destaques, aprovados nessa quinta-feira. A relação passou a incluir, além das categorias previstas no texto original:

  • trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social (Suas), das entidades e organizações de assistência social, e dos conselhos tutelares que prestam atendimento ao público;
  • trabalhadores da educação do ensino básico em exercício nos ambientes escolares;
  • coveiros, atendentes e agentes funerários;
  • profissionais que trabalham em farmácias;
  • oficiais de justiça;
  • profissionais de limpeza pública;
  • empregados domésticos;
  • taxistas, mototaxistas e motoristas de aplicativos;
  • trabalhadores do transporte coletivo urbano;
  • bancários;
  • entregadores de aplicativos.

O substitutivo aprovado inclui ainda nas prioridades grupos que já estão contemplados no plano de imunização, como os profissionais de saúde e funcionários que trabalham em ambiente hospitalar; pessoas com deficiência; idosos e indígenas. (Com informações da Agência Câmara e Agência Senado)

Vídeos Relacionados