fim da fila

Quase 500 pessoas são punidas em São Paulo por escolher marca de vacina

A recusa deve ser assinada em termo de responsabilidade e a vacinação só ocorre ao final do calendário

acessibilidade:
mão segurando frasco e seringa
Grande parte dos brasileiros concorda com obrigatoriedade da vacina e passaporte de vacinação Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr

A Prefeitura de São Paulo puniu 445 pessoas que se recusaram a receber a dose do imunizante contra a Covid-19. Todas assinaram um termo de responsabilidade informando sobre a negativa da vacinação devido à marca e foram mandadas para o final da fila de vacinação.

A sanção está prevista em lei aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito da capital paulista, Ricardo Nunes. Ela está em vigor desde a última terça-feira (27) e o montante de punidos faz referência ao período de implantação até esta terça-feira (3).

Essas pessoas que recusaram a vacinação só poderão ser imunizadas após o calendário de imunização da cidade for concluído. Destes, estão excluídas gestantes e puérperas, além de pessoas com comorbidades comprovadas por recomendação médica.