Mais Lidas

Ingresso no Covax Facility

OMS aprova inclusão da CoronaVac em lista de uso emergencial contra covid-19

Imunizante da chinesa Sinovac fabricado pelo Butantan ingressará no Covax Facility

acessibilidade:
Vacina CoronaVac, contra a covid-19. Foto: Divulgação Instituto Butantan

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta terça-feira (1º) sua aprovação ao uso emergencial da vacina CoronaVac contra a Covid-19, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. O comunicado foi feito em coletiva de imprensa pelo diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

“Estou feliz em anunciar que a vacina da Sinovac recebeu autorização para uso emergencial da OMS após ser considerada segura, efetiva e de qualidade garantida com duas doses. Além disso, os requisitos simples de armazenamento tornam a vacina muito adequada para locais com poucos recursos”, afirmou Tedros.

A CoronaVac é a sexta vacina aprovada pela OMS para uso emergencial no contexto da pandemia. Com isso, todas as três vacinas atualmente em aplicação no Brasil contra a Covid-19 passam a contar com o aval da organização.

De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), o procedimento “avalia a adequação de novos produtos de saúde durante emergências de saúde pública” com o objetivo de “disponibilizar medicamentos, vacinas e diagnósticos o mais rápido possível para atender à emergência, respeitando critérios rigorosos de segurança, eficácia e qualidade”.

Eficácia atestada

A CoronaVac está sendo utilizada no Brasil desde janeiro, sendo que mais de 47 milhões de doses já foram encaminhadas ao Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde.

Nesta semana, os primeiros resultados do Projeto S – estudo clínico do Butantan que avalia a eficácia do imunizante no mundo real por meio da vacinação da população do município de Serrana, interior de São Paulo – demonstraram que a vacina fez os casos sintomáticos de Covid-19 na cidade despencarem 80%, as internações, 86%, e as mortes, 95%. (Com informações do Instituto Butantan)

Vídeos Relacionados