Nós pagamos

Balanço do desperdício: cartões corporativos custaram R$52 milhões

Governo federal abusou dos cartões em 2018, e o contribuinte é quem paga

Balanço do desperdício: cartões corporativos custaram R$52 milhões

A conta dos cartões de pagamento do governo federal (CPGF), os famosos cartões corporativos, custaram R$ 52,2 milhões ao contribuinte brasileiro em 2018. O valor está longe do recorde histórico de gastos, atingido pelo governo do petista Lula em 2010, com mais de R$ 80 milhões, mas representa uma média de gastos anual de quase R$ 9 mil para cada um dos 5.833 portadores de cartão corporativo do governo. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Existem dois tipos diferentes de cartões, além do CPGF. Um para emergências de Defesa Civil e outro para Compras Centralizadas.

No total, os três tipos de cartões de crédito do governo federal custaram mais de R$ 235,2 milhões.

O tipo de cartão do governo que mais custou ao contribuinte em 2018 foi o de Compras Centralizadas; R$ 136,1 milhões.

Redação
Redação
| Atualizado