Cláudio Humberto

STF em xeque

acessibilidade:

Teve o “dedo” do ministro José Levi (AGU), advogado brilhante, a decisão de Bolsonaro abrindo mão de depor no inquérito de “interferência na PF”. O recado é: se há prova, que o indiciem. Mas no Planalto até as paredes estão convencidas de que o objetivo era humilhar o presidente.

Reportar Erro