Cavalo militante

Cavalo militante

Em campanha para deputado no Paraná, Mário Pereira e Luiz Henrique Bonaturra chegaram juntos a Guaraniaçu para falar no salão paroquial. Pereira discursou primeiro e Bonaturra foi precedido de grande foguetório. Ao final do barulho, ele já ia falar quando um homem entrou esbaforido: “Mataram meu cavalo!” Todos saíram à rua, e o cavalo saiu em disparada. Aquilo gerou muita conversa e todos ficaram lá fora, enquanto Bonaturra permanecia diante de cadeiras vazias. Retornou só o homem do cavalo: “Desculpe, doutor. Vai ver, ele só desmaiou de susto com o foguetório…” Bonaturra sempre desconfiou que a história foi uma armação de Pereira.

Redação
Redação
| Atualizado