Poder sem Pudor

16/05/2019

Sem intimidades

Sem intimidades

No final de 1964, o então coronel João Paulo Burnier, que mais tarde seria o célebre brigadeiro, assumiu o comando da Base Aérea de Santa Cruz. Chefe rigoroso, era muito temido. Certa vez, numa sexta-feira, reza a lenda que ele ligou para o Oficial de Dia, tenente Tomaz: “Tenente, soube que amanhã haverá sessão de cinema na Base. Qual será o filme?” O tenente, nervoso, respondeu com a voz trêmula: “Eu, Você e o Destino”. O comandante Burnier não entendeu direito: “O quê? Para evitar intimidades, o tenente se apressou em corrigir: “O filme é “Eu, o Senhor e o Destino”…
15/05/2019

Comigo mesmo!

Comigo mesmo!

Convidada pelo colega Ney Suassuna (PMDB-PB) para acompanhá-lo ao jantar oferecido ao príncipe Philippe, na embaixada da Bélgica em Brasília, a senadora Íris Araújo (PMDB-GO) pilheriou: “Só se for para entrar de mão dada com o senhor. É para dar o que falar!” Ney Suassuna topou na hora: “Dar o que falar é comigo mesmo!”. Ela, não.
14/05/2019

Santo milagroso

Santo milagroso

O saudoso Maurício Fruet era prefeito de Curitiba e, certa vez, em uma recepção, esbaldou-se na comilança ao lado do amigo e ex-vereador Ademar Bertoli. A orgia gastronômica impressionou o arcebispo metropolitano, dom Pedro Fedalto, segundo relatam Hugo Sant’Ana e Sandra Pacheco no livro “Maurício Fruet, Um brasileiro Cordial”: – Maurício, para que santo vocês rezam para fazer a digestão? Fruet respondeu na bucha: – São Risal, eminência…
13/05/2019

Vaia silenciosa

Vaia silenciosa

Tancredo Neves queria popularizar sua candidatura a presidente no Colégio Eleitoral e foi a um comício em Goiânia (GO). Diante da rejeição ao vice, pelas ligações de seu antigo partido à ditadura, Tancredo pediu ao governador Íris Rezende para evitar vaias a José Sarney. Íris negociou e conseguiu que a esquerda não o vaiasse, mas no dia do comício, praça lotada, apareceram faixas tipo “Fora, Sarney!”. Ante o olhar de reprovação de Tancredo, Íris deu de ombros: “Vaiar, ninguém vaiou…”