Poder sem Pudor

20/04/2019

Um amante de gatos

Um amante de gatos

Especialista em factóides, Jânio Quadros visitou certa vez o diplomata Guimarães Rosa. Instalado na sala do célebre autor de “Grande Sertão: Veredas”, Jânio notou que havia uma grande quantidade de gatos: “Por que tantos gatos? Em geral as pessoas preferem cachorros…” Guimarães Rosa respondeu sem hesitações: “Porque os gatos são muitos mais fiéis ao dono. Já os cachorros se parecem com certos diplomatas, abanam a cauda para qualquer autoridade…”
19/04/2019

Os feitos de Mem de Sá

Os feitos de Mem de Sá

De volta à Câmara, o deputado Gustavo Fruet (PDT-PR) era candidato a vereador em 1996, em Curitiba, e visitou escolas com o pai, o saudoso deputado Maurício Fruet. Numa delas, um estudante resolveu testar o candidato, fazendo-lhe perguntas sobre vultos históricos como Juscelino, Getúlio Vargas, Jango etc. Até que atacou: “E Mem de Sá, o que ele fez pelo Brasil?” Maurício resolveu intervir, encerrando o papo e a sabatina do pirralho: “Ele fez o que pôde, meu filho. Fez o possível!”
18/04/2019

O padre Pero Vaz

O padre Pero Vaz

Paulo Ronaldo era deputado estadual do Pará, nos anos 1970, quando resolveu discursar em homenagem ao Dia do Descobrimento do Brasil: “Quando rezou a Primeira Missa, o padre Pero Vaz de Caminha…” Foi interrompido por um colega: “Pero Vaz de Caminha foi escrivão da frota de Cabral e não padre…” A resposta do deputado arrancou gargalhadas: “Vossa Excelência está por fora. Me contaram que o padre adoeceu e quem celebrou a missa foi Pero Vaz. Portanto, quem celebra missa é padre!”
17/04/2019

Me erre

Me erre

Depois de alguns dias sem aparecer, o piauiense Heráclito Fortes (PFL) foi saudado por sua desafeta preferencial, a senadora Ideli Salvatti (PT-SC): “Ora, viva! Então o senhor reapareceu, bonito, cheio de amor para dar!” O senador olhou-a de cima para baixo e tripudiou, para gozo dos pefelistas: “Mas não para a senhora!…”