Diário Motor

Diário Motor

Testamos a versão EXL do japonês que sai por incríveis R$ 111.900
20/05/2019

Honda HR-V, um utilitário familiar espaçoso, confortável e caro, muito caro

Diário Motor

Honda HR-V, um utilitário familiar espaçoso, confortável e caro, muito caro

Testamos a versão EXL do japonês que sai por incríveis R$ 111.900

Testamos a versão EXL do Honda HR-V, até então a configuração topo de linha do SUV compacto — em breve, a Touring com motor turbo assumirá essa posição, por salgados R$ 139.990. A opção completa com motor aspirado sai por, não menos exagerados, R$ 111.900.   O japonês recebeu o facelift de meio de vida no fim do ano passado. Por ser apenas uma atualização, o visual pouco mudou. As principais — e únicas — alterações na carroceria, focaram a dianteira. O para-choque, faróis e luzes de apoio foram redesenhados. O que chama a atenção é que, o que antes era um delicado filete cromado no para-choque, passa a ser uma barra gigante, extremamente exagerada. De resto, apenas as rodas foram modificadas. As laterais e a traseira continuam iguais, com a maçaneta da porta traseira “escondida” na coluna C.    Por dentro, as modificações também foram pequenas. Elas focaram na tela da central multímidia e no desenho dos bancos, que passam a ser de couro perfurado. O controverso console central de dois andares continua presente e ganhou acabamento em black piano. Os materiais utilizados são bons, há plástico macio ao toque e detalhes cromados, sim, mais cromo. O espaço interno continua como ponto alto do HR-V e um dos melhores da categoria. O utilitário leva quatro adultos com extremo conforto, um quinto sempre gera aperto, mas no caso do SUV, nada muito grave. O porta-malas é gigante, com 437 litros, capaz de levar muita bagagem. Outro ponto positivo, é sistema de bancos que pode ser trabalhado para ganhar mais espaço na cabine na hora de levar objetos grandes. Não vale o preço Mesmo com muita coisa, a lista de equipamentos do HR-V pode ser considerada básica, por causa do alto valor pedido no modelo. Ele vem com controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, câmera de ré, airbags laterais de cortina e freio de estacionamento com acionamento eletrônico e função brake hold (quando ativado o motorista pode tirar o pé do freio que o carro permanece parado). O SUV conta também com central multimídia com conexão bluetooth, tela de sete polegadas, conexão com smartphone, GPS integrado e duas portas USB, luz de circulação diurna em LED, piloto automático, ar-condicionado digital, borboletas no volante, bancos em couro, acendimento automático dos faróis e vidros, travas, ajustes dos retrovisores e direção elétricos. Para a linha 2020, a Honda acrescentou sensores de estacionamento dianteiros e traseiros e crepuscular. Mas o modelo teve um aumento, ele custava R$ 108.500 e agora sai por R$ 111.900. Mas a versão testada não contava com esses itens novos. Com isso, a lista de equipamentos fica um pouco menos deficitária, mas nem tanto. Afinal, estamos falando de um veículo de mais de R$ 100 mil. Falta, entre outros, abertura das portas e partida do motor com chave presencial, sensores de chuva e de ponto cego e monitoramento de pressão dos pneus.   O ar-condicionado deveria ser dual zone e ter saída para o banco de trás. Ele também poderia ter portas USB voltados para a segunda fileira de bancos, afinal é um carro familiar, e teto solar. De todos os itens nenhum é tão arcaico quanto o painel de instrumentos. Ele ainda é 100% analógico, não conta nem com velocímetro digital. Melhora acústica   Um dos pontos negativos que o HR-V tinha desde o lançamento, era o excesso de barulho vindo do cofre do motor, muito causado pela transmissão CVT que é naturalmente mais ruidosa. Mesmo assim, no japonês era extremamente exagerado. Para a atual versão, a Honda recalibrou o sistema e melhorou o isolamento acústico. Agora, o carro grita bem menos e o ruído só começa a partir dos 3.500rpm, algo bem normal. O motor continua o mesmo, um 1.8 de 140 cavalos e 17,4kgfm de torque. As respostas do câmbio continuam vagarosas, bem típico de transmissões CVT, que acaba sendo lenta nas manobras que exigem mais agilidade, como ultrapassagens, saídas e retomadas de velocidade, todas precisam ser feitas com paciência e cuidado. O motorista precisa afundar o pé no acelerador para ter uma resposta um pouco melhor. Uma boa alternativa é colocar o câmbio no modo Sport, que ajuda nas manobras, mas que faz o motor trabalhar em rotações mais altas (que aumenta o barulho). Um ponto positivo do HR-V, que continua presente na linha, é a suspensão. O sistema também foi melhorado e otimiza ainda mais o conforto embarcado, com uma excelente capacidade de absorver as imperfeições do solo. A opinião do Diário Motor O HR-V não é um veículo ruim, longe disso, o problema está no preço extremamente elevado que a Honda pede nele. A grande questão é que o valor não corresponde com o que o carro oferece, faltam muitos itens de série, tanto de segurança, quanto de comodidade. Como veículo familiar, ele oferece bom espaço interno, um porta-malas com uma ótima capacidade e o sistema modular dos bancos, que possibilita levar objetos de tamanhos diversos. A melhora da acústica ajuda a diminuir o ruído da transmissão, mas que continua lenta como todo CVT. Vale o teste drive! Nota 6,5. Ficha Técnica Motor: 1.8 Potência máxima: 139/140cv Torque máximo: 17,4/17,3kgfm Transmissão: automática CVT Direção: elétrica Suspensão: independente na dianteira e eixo de torção na traseira Freios: a disco nas quatro rodas Porta-malas: 437 litros Dimensões (A x L x C x EE): 1.586 x 1.772 x 4.294 x 2.610mm Preço: R$ 111.900
20/05/2019

Peugeot apresenta nova versão de entrada do 3008, a Allure

Diário Motor

Peugeot apresenta nova versão de entrada do 3008, a Allure

Agora, o modelo parte de R$ 139.990

A Peugeot resolveu modificar as versões do 3008. A partir de agora, a Griffe deixa de ser importada e a Allure passa a ser a configuração de entrada. Ela é oferecida por R$ 139.990. A Griffe Pack continua como topo de linha por R$ 166.990. O motor é o mesmo, o consagrado 1.6 THP turbo 165 cavalos e 24,5kgfm de torque. Claro que, com isso, ele perde alguns equipamentos. Mesmo assim, não são muitos. Em relação a Griffe, ele não conta com faróis em LED, carregador sem fio para smartphone, ajustes elétricos dos bancos e massageador. O teto solar pode ser adicionado por mais R$ 5 mil. Visualmente, ele teve uma pequena modificação. O desenho do para-choque foi alterado por causa dos faróis, que precisam de uma área maior, já que usa lâmpada halógenas e não em LED. Mesmo assim, ainda conta com uma lista de equipamentos recheada e preço competitivo. De série, no que se refere a segurança, o 3008 vem com airbags laterais e de cortina, controles de tração e estabilidade, auxiliar de partida em rampa, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros e de chuva, Isofix com sistema Top Theter, acendimento automático dos faróis e freio de estacionamento elétrico. Na parte da comodidade, ele conta com abertura das portas e partida do motor sem a chave, central multimídia com tela de oito polegadas e conexão com Android Auto e Apple CarPlay, ar-condicionado digital e dual zone, bancos em couro, compartimento refrigerado no console central, borboletas nos volantes e painel de instrumentos digital e customizável.
17/05/2019

Ducati apresenta novidades para a linha 2019 da Multistrada 1260

Diário Motor

Ducati apresenta novidades para a linha 2019 da Multistrada 1260

A motocicleta tem preço sugerido de R$ 87.900

Linha 2019 da Ducati Multistrada 1260 chega com novidades tecnológicas e nova cor. A big trail conta com o consagrado motor Testastretta de 1.262cm³, que gera 158 cavalos de potência. Já disponível nas lojas da marca, ela parte de R$ 87.900. Entre as principais novidades destaque para o Ducati Quick Shift (disponível na versão S), que permite a troca de marchas de forma automática, para cima ou para baixo, sem o uso da embreagem e sensor de monitoramento de pressão dos pneus. Ela vem também com painel de instrumentos com tela TFT colorida de alta resolução de cinco polegadas — segundo a marca, especificamente projetado para aplicações em motocicletas — e farol full LED com sistema direcional. Entre as opções de pintura, a branca é a novidade. 
17/05/2019

Peugeot 2008 ganha facelift de meio de vida com novidades mecânicas e visuais

Diário Motor

Peugeot 2008 ganha facelift de meio de vida com novidades mecânicas e visuais

O SUV francês parte de R$ 69.990 e chega em R$ 99.990

Peugeot apresenta novidades na linha do 2008 com o facelift de meio de vida do modelo. A principal mudança é o fim das versões manuais. Com isso, todas — até a com motor turbo — serão equipadas com transmissão automática de seis velocidades. Os preços variam de R$ 69.990 a R$ 99.990. Ao todo, são quatro configurações com o uso de dois motores, ambos 1.6, mas um aspirado e outro turbinado. O primeiro tem 118 cavalos de potência e 16,1kgfm de torque, enquanto o segundo alcança 173 cavalos e 24,5kgfm. Ele ainda conta com quatro modos de condução (eco, sport, drive e sequencial). A topo de linha, a Griffe THP (que chega em outubro às lojas), também é equipada com o sistema Grip Control, que ajusta a tração e a estabilidade do veículo para trabalharem de acordo com o terreno. Agora, o modelo alinha com os irmãos maiores, principalmente no quesito visual. A grade frontal segue o estilo do 3008 e do 5008, mas com características próprias. A peça, ao contrário da tendência do mercado, não é cromada, mas em preto brilhante. O para-choque frontal também foi redesenhado, assim como os faróis, que ganharam a luz de circulação diurna no mesmo estilo dos outros SUVs das marca. As rodas contam novo desenho e segue o padrão diamantado. Por ser um facelift, a traseira quase não sofreu alteração. Por dentro, a principal modificação é na tela da central, que agora é flutuante. As versões A Peugeot apresenta a nova linha do 2008 com preços agressivos, para o atual momento do mercado. O utilitário compacto francês começa em R$ 69.990 na configuração Allure. De série, ele vem com airbags laterais, luz de circulação diurna em LED, central multimídia com tela de sete polegadas e conexão com smartphone via Android Auto e Apple CarPlay, sem falar nos básicos, ar-condicionado, vidros, travas, direção e retrovisores elétricos. A Allure Pack, por R$ 79.990, acrescenta faróis de neblina, câmera de ré e rodas de liga leve de 16 polegadas. A Griffe, ainda com motor 1.6 aspirado, sai por R$ 89.990 e ganha ar-condicionado digital dual zone, teto solar panorâmico, sensor de chuva e luminosidade. Já a topo, troca o motor para o turbinado e vai a R$ 99.990. Plano diferenciado Para o 2008, a Peugeot preparou um plano de financiamento diferenciado. Todas as versões contam com opção de 60% de entrada, parcelas em 30 vezes com juros a 0,83% ao mês e parcela balão (a final) de 30% ou recompra garantida. Na opção de entrada, esses valores representam R$ 41.394 de entrada, 30x de R$ 569 mais a balão de R$ 20.997, totalizando R$ 79.461. Mas é possível não pagar a última, e dar o veículo como entrada em outro.