Vergonha?

PT impede Haddad de aparecer em foto com os Renan, pai e filho

Foto de visita a Maceió exclui os Calheiros nas redes sociais do PT

PT impede Haddad de aparecer em foto com os Renan, pai e filho

Campanha de Fernando Haddad cortou Renan e Renan Filho de foto de agenda em Alagoas. Foto: Facebook

Os perfis do Facebook, Twitter e do Instagram do Partido dos Trabalhadores (PT), de Lula e de seu futuro substituto na corrida presidencial, Fernando Haddad, não exibiram nenhuma fotografia do petista aparecendo lado a lado com os líderes do MDB e da família Calheiros no Estado de Alagoas, no último domingo (2).

Haddad até levou fotógrafo para a agenda do último fim de semana com os candidatos do MDB à reeleição em Alagoas, mas o senador Renan Calheiros (MDB) e o governador Renan Filho (MDB) ficaram de fora do enquadramento da foto escolhida para marcar a presença do petista no Estado, cujo ponto alto foi uma carreata na paradisíaca cidade de Maragogi (AL).

É fato que Renan e seu herdeiro político aparecem em pelo menos três transmissões ao vivo feitas através dos perfis petistas nas redes sociais. As chamadas lives foram alvos de dezenas de críticas em tempo real de eleitores petistas, em comentários contrários à incoerência atribuída à aliança e à agenda de Haddad na terra de Renan, derramando elogios sobre a dupla.

Na única foto publicada após o ato de campanha, das referências elogiosas aos aliados feitas em vídeo, sobrou o gesto de coração feito por Haddad com as mãos, usado na campanha de Renan Filho. Até o adesivo do governador colado no peito do petista ficou de fora.

Fotos de Haddad reunido com os Calheiros, se concentraram no perfil de Lula no Flickr, onde são raros os comentários nas fotografias; e em matérias no site oficial de Lula, onde não há espaço para interação com os internautas.

Na foto original aparecem Renan, Haddad e Renan Filho. (Foto: Ricardo Stuckert)

De ex-amigo a ex-inimigo

Além de críticas mais contundentes, grande parte das reações negativas citavam o apoio de Renan ao impeachment de Dilma Rousseff, sua ex-aliada alvo da cassação demonizada pelo PT como se tratasse de um “golpe” contra a democracia. Inclusive, o voto de Renan contra Dilma motivou a saída em massa de petistas de cargos no governo Renan Filho. Para onde o PT voltou este ano.

A ausência das fotos é fato incomum nas redes sociais dos petistas, que têm publicado álbuns fotográficos dos eventos de campanha, ao lado dos anfitriões. Mas também aconteceu em relação ao encontro de Haddad com o senador Eunício Oliveira (MDB), no Ceará, no mesmo fim de semana.

Já nas páginas dos candidatos alagoanos, as imagens do evento com Haddad foram publicadas com destaque.

Sem constrangimento

Questionado se o partido e Haddad teriam ficado envergonhados com a reação às transmissões nas redes sociais contra a agenda com os Calheiros e decidido não utilizar as fotos com os alagoanos, o presidente do PT de Alagoas, Ricardo Barbosa, disse que a aliança é uma decisão partidária discutida nacionalmente há muito tempo e com o aval de Lula.

“De nossa parte, não há nenhuma vergonha de assumir isso. As alianças que o PT está fazendo nos estados visam nosso projeto estratégico de eleger Lula presidente, ou a candidatura que ele apoiar, e defender sua liberdade. Aqui em Alagoas não é diferente. Não existe isso, até porque isso é público. Não tem porque ter vergonha de absolutamente nada. Temos orgulho de defender o Lula. Até estranho essa expressão na pergunta”, disse Barbosa, ao ressaltar estar consciente e confortável, porque os Calheiros têm defendido o projeto petista em uma atitude que considera corajosa, por contrariar a candidatura presidencial de Henrique Meirelles, do MDB.

O presidente do PT de Alagoas disse que não cabe a ele avaliar o uso do material de campanha pela coordenação nacional do partido e da campanha. Mas não passou o contato dos responsável pela comunicação da campanha, solicitado pela reportagem.

As assessorias do senador Renan e do governador Renan Filho não responderam ao Diário do Poder se saberiam a motivação de a campanha de Lula/Haddad não ter utilizado as fotos deles juntos em Alagoas, no Facebook, no Instagram e no Twitter, como é feito na maioria das agendas.

Também não atenderam à solicitação da reportagem para que os candidatos comentassem sobre as críticas registradas nos comentários das transmissões ao vivo, e respondessem se acreditam que Haddad evitou os registros fotográficos do encontro.

A assessoria do Renan Calheiros lembrou da existência de transmissões ao vivo com os candidatos juntos, divulgadas nas redes sociais. E depois de ser lembrada de que nada mais foi publicado nas redes, após as transmissões que provocaram críticas imediatas à aliança do PT com os Calheiros, incluiu uma provável tentativa de intimidação, na argumentação:

“Na campanha, você não fica publicando [fotos] depois. Olhe o do Renan. Publica na hora, no dia.
Depois a pauta é outra. […] Faça a pauta que você está tentando. Vou acionar o jurídico pra ficar de olho em você”, disse a assessora de Renan, Izabelle Torres.

As fotos do evento de Haddad com os Calheiros foram publicadas às 13h30, nas redes de Renan Filho, e às 13h39, nas redes do senador Renan. Já a foto solitária de Haddad foi publicada antes, às 13h02 daquele domingo.

Veja a transmissão da caminhada e as críticas nos comentários clicando aqui.

Davi Soares
Davi Soares
| Atualizado