Primeiro semestre

Real derrete e já desvalorizou mais do que Peso Argentino

Economista diz que fatores internos, como discursos de Lula, afetam cotação da moeda

acessibilidade:

A desvalorização do Real no primeiro semestre deste ano já alcançou a marca de 15%, valor superior ao observado, em média, entre outras doze economias emergentes, 4,4%.

O economista Márcio Holland, da Fundação Getúlio Vargas, analisou a moeda e afirma que se o Real tivesse acompanhado a desvalorização das outras moedas emergentes, deveria ter encerrado o primeiro semestre do ano em cerca de R$5,13 por dólar. No entanto, em 28 de junho, a cotação era de R$5,59.

Holland não desassocia questões internas da disparada do dólar. Para o economista, questões fiscais e os discursos do presidente Lula atacando o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, colaboram para a deterioração do Real.

O economista ainda lembra que a moeda argentina, mesmo o país passando por recessão econômica com o PIB recuando 5,1% no primeiro trimestre do ano, desvalorizou 11,08%, menos do que o Real.