Doleiro

Processo de Alberto Youssef sobre grampo ilegal sai da 13ª Vara Federal de Curitiba

O juiz Fábio Nunes de Martino entendeu não ter competência para analisar os pedidos da defesa e enviou o processo para a 23ª Vara Federal

acessibilidade:
A defesa do doleiro enrolado na Lava Jato, solicitou acesso à íntegra de todas as investigações sobre o caso. Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil.

Após a defesa do doleiro enrolado na Lava Jato, Alberto Youssef , solicitar acesso à íntegra de todas as investigações sobre o caso dos supostos grampos ilegais na cela, o juiz Fábio Nunes de Martino, que assumiu a Vara da Lava Jato em junho, determinou que a petição de Youssef seja enviada da 13ª Vara Federal em Curitiba para a 23ª Vara Federal.

Na decisão, o magistrado afirma que “os inquéritos policiais sobre o tema foram tratados na 23ª Vara e que, por isso, a 13ª Vara não é competente para decidir agora sobre a petição apresentada pelo doleiro”.

A 13ª Vara Federal abriga os processos remanescentes da Operação Lava Jato.

A defesa de Youssef acredita que o conteúdo das investigações sobre os grampos pode interferir na “voluntariedade e espontaneidade” da delação.

O doleiro foi preso no âmbito da Operação Lava Jato em 2014 e levado à carceragem da Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba.

Antes de ser afastado da 13ª Vara, o juiz Eduardo Appio já havia concordado com a petição da defesa de Youssef e pediu à PF uma cópia integral de todas as investigações sobre os grampos na cela.

No entanto, nem todo o material foi disponibilizado até agora.

 

Reportar Erro