Bolso sem refresco

Impostômetro atinge marca de R$2 trilhões

Marca em 2023 foi alcançada mais cedo do que em 2023

acessibilidade:
No último ano, marca foi atingida em 14 de setembro

O Impostômetro, que marca quanto os brasileiros já pagou de impostos, deve bater os R$2 trilhões na noite desta quarta-feira (30). O marcador é mantido pela Associação Comercial de São Paulo (Acsp) e engloba impostos, taxas, contribuições, multas, juros e correção monetária.

Em 2023, a marca chega mais cedo do que em 2022, quando o Impostômetro atingiu R$2 trilhões em 14 de setembro.

O economista-chefe da ACSP, Marcel Solimeo, revelou que a notável diferença de 14 dias se deve, em parte, à inflação acumulada durante o respectivo período. A alta da inflação, embora tenha sido mitigada por algumas medidas de desoneração, exerceu influência direta ao aumento dos preços dos produtos e, por consequência disso, para arrecadação tributária.

Vale destacar que a redução temporária nos impostos sobre os combustíveis, de certa forma, amenizou o impacto do aumento geral dos preços”, avaliou Solimeo.

 

Reportar Erro