Advogado e ex-assessor

Escândalo do arroz: sócio de corretora de grãos é advogado de Geller

Escândalo derrubou secretário Neri Geller, do Ministério da Agricultura

acessibilidade:
Escândalo derrubou secretário do Ministério da Agricultura (Foto: Ag./Câmara)

O dono da Foco Corretora de Grãos, Robson Luiz Almeida de França, está cadastrado para atuar como advogado na Justiça Eleitoral de Neri Geller, que até ontem (11) figurava como secretário nacional de Política Agrícola.

A Foco Corretora representou três das quatro empresas do leilão, a Zafira Trading, ASR Locação de Veículos e Máquinas Agrícolas e Icefruit Indústria e Comércio de Alimentos. A importação do cereal deveria movimentar cerca de R$1,3 bilhão apenas nesta compra.

Denúncias entorno do suspeitíssimo leilão bilionário e questionamento quanto a capacidade técnica dos vencedores acabaram obrigando o governo a cancelar o certame. Geller também deixou o cargo nesta segunda-feira.  A demissão do secretário foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União.

Antes da demissão, Geller concedeu entrevista em que negou relações com França há quatro anos. “Ele trabalhou comigo até 2020. Falei com ele recentemente, e ele até brincou dizendo que eu não pago mais o salário dele”, afirmou o ex-secretário à revista Veja.

Apesar da declaração, há menos de um mês, em 14 de maio, França apresentou as alegações finais em um processo de prestação de contas do PP de Mato Grosso, partido que Geller era presidente. O escritório de França também está habilitado para atuar como advogado em ao menos outros 30 processos.

À revista, Geller afirmou que o advogado prestou serviços eleitorais para ele e para o PP de Mato Grosso depois de ter deixado a assessoria de seu gabinete de deputado e que não tem nada a esconder. França disse que não foi o único advogado de Geller nos processos e que a participação da empresa no leilão não tem conflito de interesses.