Cláudio Humberto

Eduardo Girão pode levar disputa pela Presidência do Senado ao 2º turno

Presidência do Senado nunca foi disputada em dois turnos

acessibilidade:
Senador Eduardo Girão (Podemos-CE) pode tirar votos preciosos de Rodrigo Pacheco (PSD-MG) - Foto: reprodução da TV Senado.

O entorno de Rodrigo Pacheco (PSD-MG) captou dois fenômenos prejudicando a campanha do senador mineiro, que tenta ser reconduzido à Presidência do Senado. Em menor intensidade, Eduardo Girão (Pode-CE), também candidato, pode empurrar a inédita disputa para o segundo turno, que seria disputado entre Pacheco e Rogério Marinho (PL-RN), apoiado por Jair Bolsonaro. Já Davi Alcolumbre (União-AP) é tido como “tóxico”, até pelas insinuações em torno do uso das “emendas do relator”. As informações são do colunista do Diário do Poder, Cláudio Humberto.

Cabo eleitoral de Pacheco, Alcolumbre tem a desconfiança dos pares. O senador do Amapá quer apenas continuar presidindo a CCJ.

Senadores relataram à coluna “conversas estranhas” sugerindo “maior facilidade” para liberar verbas em ministérios caso Pacheco leve o pleito.

Parlamentares também dizem que monitoramento das redes sociais apontam rejeição aos associados a Alcolumbre e citam a #PachecoNão.