Apropriação indébita

DPU enrola e não explica transformação de área pública em estacionamento privativo

acessibilidade:
Em região de Brasília com escassez de vagas, a DPU se apropriou de estacionamento público.

A Defensoria Pública da União se esquivou e não respondeu os questionamentos de apropriação de área pública para montar um estacionamento privativo para servidores.

A sede do órgão está na área central de Brasília, uma das regiões mais concorridas do Distrito Federal. Motoristas foram surpreendidos com uma cancela fechada, instalada pela DPU, para acomodar carros de funcionários da defensoria.  Mesmo com poucos carros no estacionamento e a parte externa lotada de motoristas procurando uma vaga, a DPU manteve o espaço público fechado.

Questionada sobre autorização para apropriação do espaço, a DPU respondeu que o fechamento da área se deu “em razão do recesso forense”.