PCDF

Daniel Silveira é Indiciado por rompimento de tornozeleira eletrônica

O ex-deputado pode pegar até seis meses de prisão se condenado pelo caso

acessibilidade:
O ex-deputado foi condenado a 8 anos e 9 meses de prisão em regime fechado por 'ataques' a ministros do STF. (Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados).

O ex-deputado federal Daniel Silveira foi indiciado pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) por crime de dano pelo rompimento da tornozeleira eletrônica utilizada pelo investigado.

Segundo a PCDF, ele “questionava a integridade e o funcionamento do equipamento”. O caso aconteceu no ano passado e foi confirmado pelo próprio ex-parlamentar. A informação foi confirmada pela corporação nesta quinta-feira (31).

Silveira recebeu a tornozeleira no dia 31 de março, em Brasília. O ex-deputado foi condenado a 8 anos e 9 meses de prisão em regime fechado por “ataques” a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

“O aparelho foi examinado pelos peritos, que afastaram a possibilidade de qualquer adulteração de seu case, não localizaram objeto em seu interior capaz de executar a função de escuta ambiental e, por fim, atestaram o rompimento da correia do equipamento”, apontou a Polícia Civil.

Caso condenado pelo rompimento, Daniel pode pegar entre um e seis meses de prisão. O procedimento é de responsabilidade da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRACO), vinculada ao Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (DECOR).

 

Reportar Erro