Mais Lidas

Sub judice

Vice de Alagoas supera pressão de Renan e vence em Arapiraca com 54,56% dos votos

Luciano Barbosa foi expulso do MDB após ignorar orientação de senador para não se candidatar

acessibilidade:
Luciano Barbosa venceu disputa pela Prefeitura de Arapiraca. Foto: Divulgação

Resistindo à pressão política do senador Renan Calheiros, à expulsão do MDB e à batalha judicial contra sua candidatura, o vice-governador de Alagoas, Luciano Barbosa, foi vitorioso nas urnas para o cargo de prefeito de Arapiraca (AL), maior colégio eleitoral do interior do estado. Barbosa obteve 54,56% dos votos válidos, com 100% das urnas apuradas. A segunda colocada foi a atual prefeita Fabiana Pessoa (PRB), com 19,22% dos votos, seguida do deputado estadual Tarcizo Freire (PP), com 15,08% da preferência dos arapiraquenses.

Apesar da vitória expressiva com mais de 59 mil votos, Luciano Barbosa deve esperar o trânsito em julgado do julgamento de sua candidatura pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para saber se retorna ou não ao comando do município com a 2ª maior economia de Alagoas, que já administrou em dois mandatos anteriores.

A quarta colocada da disputa foi a vereadora Gilvânia Barros (SDD), com 6,47% dos votos; seguida de Cláudio Canuto (Patriotas), com 2,32%; Hector Martins (Cidadania), com 1,93% dos votos; e Lindomar Ferreira (PSOL), com 0,42% dos votos.

Batalha política nos tribunais

Luciano Barbosa passou a última semana de campanha lutando contra a decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE), que lhe retirou, na segunda-feira (9), o direito de fazer propaganda eleitoral e de aparecer como opção de voto na urna eletrônica.

Banido do MDB por ser escolhido candidato a prefeito em convenções partidárias municipais desautorizadas pelos seus ex-líderes partidários das esferas estadual (Renan Calheiros) e nacional (Baleia Rossi), Luciano Barbosa garantiu o direito de manter a campanha e seu nome nas urnas somente na quinta-feira (12), quando o Pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) garantiu a vigência da Lei das Eleições, que assegura a participação de candidato sub judice na disputa.

O vice-governador chegou a denunciar na terça-feira (10) ser vítima do coronelismo e de um ataque à democracia. Mas depois agradeceu à Justiça do Brasil por restabelecer seu direito de ser votado.

O problema central que levou Barbosa a irritar seu aliado histórico Renan Calheiros é a possibilidade de sua renúncia ao cargo de vice-governador para reassumir a Prefeitura de Arapiraca, em 2021, retirando do domínio do clã Calheiros a linha sucessória do governador Renan Filho (MDB), que deve ser assumida pelo deputado estadual Marcelo Victor (SDD-AL).

Reeleito presidente da Assembleia Legislativa por unanimidade, Marcelo Victor simbolizou a resistência dos deputados alagoanos à tentativa dos Calheiros de mandar no voto de aliados na eleição para a Mesa Diretora do Legislativo, em 2019.

 

 

Vídeos Relacionados