Mais Lidas

R$1,4 milhões desviados

Vereador preso com dinheiro em banheira vira réu em nova ação por crimes em Petrópolis

Paulo Igor Carelli (MDB) agora é acusado de atrapalhar investigações contra ele e outros vereadores

acessibilidade:

O Primeiro Grupo de Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) confirmou na quarta-feira (9) o recebimento de mais uma denúncia contra o ex-presidente da Câmara Municipal de Petrópolis (RJ), Paulo Igor Carelli (MDB), acusado de desviar mais de R$ 1,4 milhão de recursos públicos do município.

Nesta ação, o ex-vereador é acusado de atrapalhar as investigações contra ele e outros vereadores do município investigados na chamada Operação Sala Vip, resultante da Operação Caminho do Ouro que, em 2018, resultou na decretação de sua prisão por formação de quadrilha, fraude em licitação e desvio de dinheiro. Na ocasião de sua prisão foram apreendidos R$ 155 mil e 10.300 dólares, escondidos na bomba da banheira de hidromassagem, em uma gaveta da mesa de cabeceira e dentro de um carro.

De acordo com a nova denúncia, em janeiro deste ano Paulo Igor teria destruído provas importantes para a investigação, ao desinstalar o aplicativo de conversas WhatsApp de seu celular quando um oficial de justiça chegou na sua casa com um mandado de busca e apreensão dos aparelhos celulares dele e de sua esposa.

Outros quatro vereadores e um ex-vereador, além de um empresário também são investigados por envolvimento nas irregularidades apuradas pela operação contra crimes de fraude em licitação e peculato.

Na decisão, os desembargadores também mantiveram as medidas cautelares contra o ex-vereador, que o proíbe de manter contato com os outros réus na ação e determina o seu afastamento das funções na Câmara dos Vereadores de Petrópolis.

O processo tramita sob o número 0011053-12.2019.8.19.0000. (Com informações da Comunicação do TJRJ)

Reportar Erro