Baixaria na câmara

Janones insulta deputados e pede: ‘bata em mim’. Veja vídeo

Confusão começou quando governista tentou calar Filipe Barros (PL-PR)

acessibilidade:
A confusão ocorreu durante sessão da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara. (Foto: Reprodução/TV Senado).

Os deputados federais André Janones (Avante-MG) e Evair Vieira de Melo (PP-ES) protagonizaram uma confusão durante sessão nesta terça-feira (26) da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara onde o ministro dos Direitos Humanos, Silvio Almeida, estava prestando esclarecimentos.

A confusão começou quando Janones iniciou um bate-boca com o deputado federal Filipe Barros (PL-PR) e disparou contra o paranaense: “bandido, vai latir lá fora, baba ovo de miliciano”, e desafiou: bate em mim”.

A fala foi rebatida por Barros que trocou mais “farpas” com Janones e em seguida partiu para cima de Filipe. O ato foi criticado pelo deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG) que disparou: “machão, machão, para ô machão, você sempre se fazendo de vítima”. O parlamentar mineiro estava ao lado do paranaense.

Após a confusão Evair de Melo tentou acalmar Janones: “Senta aí rapaz”, no fundo Barros dispara: “o Janones está sob efeito de drogas”. A confusão continuou e Janones pediu então que Melo tirasse a mão do seu corpo e disse que o parlamentar do PP tem “cheiro de cachaça”.

Melo empurra o parlamentar do Avante, e a polícia legislativa intervém para separar os dois.

Veja abaixo a confusão completa:

O autor do requerimento para a realização da audiência foi justamente Evair Vieira de Melo (PP-ES). O parlamentar quer cobrar do ministro “esclarecimentos” sobre trecho de seu discurso proferido durante o lançamento do Relatório de Recomendações para o Enfrentamento ao Discurso de Ódio e ao Extremismo no Brasil, ocorrido em julho.

Na ocasião, o ministro teria feito a seguinte declaração, conforme a justificativa do deputado:

“Nós não temos um dia de paz. Por exemplo, nas últimas semanas, vimos pessoas com mandato, enfim, destilando ódio e que [isso é] algo que nós vamos ter que tomar algum tipo de providência. Não tenho dúvida de que a estabilidade, não apenas da democracia no Brasil, mas da República, ela vai depender da nossa capacidade de reagir à altura contra esses arautos do caos, do desespero e do ódio. Não tenham dúvida […] que os adversários da democracia e da República também […] não terão um dia de paz”.

Nas redes sociais o deputado Filipe Barros disparou sobre o ministro.

“BANHEIRO UNISSEX: O Ministro dos Direitos Humanos é covarde, porque não sustenta sua posição. E é abusador, porque abusa de sua autoridade para tentar calar a oposição”, declarou.

 

 

Reportar Erro