Candidato à reeleição

TRE investiga governador do Tocantins por contratações de servidores

O tribunal quer averiguar o motivo das inúmeras contratações temporárias sem justificativa

acessibilidade:
Barbosa assumiu interinamente o cargo de governador do Tocantins, em 20 de outubro de 2021 Foto: Twitter

O governador do Tocantins, e candidato à reeleição, Wanderlei Barbosa (Republicanos) e seu vice Laurez Moreira (PDT) estão na mira do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO), que abriu uma investigação sobre as  inúmeras contratações temporárias de servidores sem justificativa ou finalidade pública.

“Como os dados das contratações temporárias não são lançadas de forma transparente do Portal da Transparência, e por sua natureza, dispensam a publicação em Diário Oficial, estima-se aproximadamente, 16 mil novos contratos efetivados apenas nos 03 (três) meses que antecederam o início deste pleito eleitoral”, ressalta ação.

Ação que foi ajuizada pela Coligação “O futuro é para já “, formada pelos partidos Avante, PRTB e PSD, e pelo  senador e candidato ao governo do Estado, Irajá Silvestre Filho (PSD), alega que os novos contratos não ocorreram para suprir déficit de servidores, tendo em vista que não houve encerramento ou rompimento de contratos temporários do ano anterior, mas sim, novas contratações.

“Em 27 de dezembro de 2021, o então governador em exercício, Wanderlei Barbosa, prorrogou por mais 12 meses 8.833 (oito mil, oitocentos e trinta e três) contratos temporários da gestão de Mauro Carlesse, efetivados em 2021, através de diversos atos declaratórios de prorrogação publicados no Suplemento do Diário Oficial”, justificam.

O Corregedor Regional Eleitoral, desembargador Eurípedes Lamounier determinou que o governo estadual encaminhe, em 15 dias, a relação nominal de contratos temporários realizados nos meses de janeiro a julho, identificados por pasta contratante, município de lotação e as justificativas para as contratações realizadas.

Por meio de nota, a Coordenação Jurídica da Campanha do candidato Wanderlei Barbosa afirma que a ação é reflexo de “ataques desesperados”.

“Devido aos ataques desesperados que vêm sendo deflagrados pelos candidatos de oposição desde o início da campanha eleitoral, iniciativas absurdas como esta já eram esperadas, uma vez que os adversários não têm o que mostrar e têm como único argumento lançar mão deste tipo de ação, principalmente nesta reta final devido à possibilidade real de vitória de Wanderlei Barbosa já no primeiro turno das eleições.

O Governador e candidato à reeleição Wanderlei Barbosa ressalta que até o momento não foi notificado da referida ação e sequer teve acesso aos autos, mas, desde já, ressalta que não cometeu qualquer irregularidade no exercício do cargo, ou mesmo em sua campanha e confia plenamente na Justiça, que tem julgado improcedentes as poucas ações eleitorais propostas contra ele nessas eleições, que deve ser o destino desta também.”

Sem citar explicitamente a situação, Wanderlei Barbosa se manifestou pelo Twitter, e lamentou “este clima de dias finais de campanha”.

Barbosa assumiu interinamente o cargo de governador do Tocantins, em 20 de outubro de 2021. Quando o ex-governador Mauro Carlesse foi afastado por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), por 180 dias. Em março deste ano, Carlesse renunciou ao governo.(Com informações CNN Brasil)