Pré-sal

Petrobras coloca em operação plataforma P-71 na Bacia de Santos

Produção estava originalmente prevista para 2023 

acessibilidade:
Mercado reagiu de forma negativa à demissão de Jean Paul Prates. (Foto: André Motta de Souza/Agência Petrobras).

A Petrobras colocou hoje (21) em operação o navio plataforma P-71, instalado no campo de Itapu, no pré-sal da Bacia de Santos, a 200 quilômetros da costa do Rio de Janeiro. A produção estava originalmente prevista para 2023 e foi antecipada pela companhia.

O diretor de Desenvolvimento da Produção da Petrobras, João Henrique Rittershaussen, indicou que a empresa vai conseguir antecipar também o ramp-up (evolução da produção). Na sua avaliação, essa “é uma excelente notícia não só para a Petrobras como para o país, que receberá mais cedo os royalties desta produção”.

Posicionada em uma profundidade d’água de 2.010 metros, a P-71 será a única a produzir no campo de Itapu, operado integralmente pela Petrobras nos regimes de Cessão Onerosa e Partilha de Produção. A previsão da companhia é que a unidade alcançará sua capacidade máxima de produção no próximo ano.

A P-71 faz parte do portfólio de plataformas próprias da Petrobras. É uma plataforma do tipo FPSO (sistema flutuante de produção, armazenamento e transferência) e tem capacidade para processar diariamente até 150 mil barris de petróleo e 6 milhões de metros cúbicos (m³) de gás, além de armazenar até 1,6 milhão de barris de óleo.

Essa é a sexta e última da série de plataformas replicantes operadas pela Petrobras. Essas unidades possuem um projeto de engenharia padronizado, alta capacidade de produção e tecnologias avançadas de operação e redução de emissões de gases de efeito estufa. Uma das tecnologias de baixo carbono da unidade é o chamado sistema de FGRU (sigla do inglês ‘Flare Gas Recovery Unity’), que contribui para um maior aproveitamento do gás produzido e redução das emissões, de acordo com informação da assessoria de imprensa da Petrobras.(ABr)