Mais Lidas

Vetos presidenciais

Skaf defende que o Congresso derrube o veto presidencial à desoneração da folha

Para o presidente da Fiesp, isso é importante para a retomada mais rápida da economia

acessibilidade:
Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) - Foto: Isac Nobrega/PR

O presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, defendeu nesta terça-feira (7), que o Congresso Nacional derrube o veto do presidente Jair Bolsonaro à lei que resultou da medida provisória 936 de modo a garantir a prorrogação da flexibilização das regras trabalhistas que permitem a suspensão de contratos e a redução de jornada. Segundo ele, isso é de grande importância para manter empregos neste momento de crise econômica causada novo coronavírus.

“Lamentavelmente, não houve a mesma sensibilidade em relação ao adiamento da reoneração da folha de pagamentos para 1/1/2022, aprovada pelo Congresso Nacional em conjunto com a flexibilização, que foi vetada pela presidência da República”, observou Skaf.

O presidente da Fiesp considera que, assim, 17 segmentos importantes e intensivos em mão de obra, entre eles couro e calçados, têxtil, confecção e vestuário, construção civil, obras de infraestrutura, máquinas e equipamentos, veículos e peças, voltarão a recolher o INSS sobre a folha de pagamentos e não sobre o faturamento já em 1/1/2021.

“Seria de extrema importância derrubar este veto e manter o atual sistema por mais um ano e, assim, estimular esses setores a retomarem mais rapidamente a atividade e o emprego após a pandemia.”