Mais Lidas

Cespe

Sessão extraordinária tratará erros em vestibular da Escs

Deputados querem respostas pelos erros no último vestibular da Escola Superior de Ciências da Saúde

acessibilidade:

escs_senadoDeputados da Comissão de Educação da Câmara Legislativa estão pressionando por respostas pelos erros no último vestibular da Escola Superior de Ciências da Saúde (Escs). O representante do Cespe, banca organizadora do certame, deve ser convidado para dar explicações. Os deputados decidiram também apresentar requerimento para convocar a direção da faculdade pública e da Secretaria de Saúde do DF.

A presidente da comissão, Liliane Roriz (PRTB), convocou sessão extraordinária na quarta-feira (02) para apreciação do assunto. A distrital solicitou apoio da líder do Governo, deputada Arlete Sampaio (PT), e de líderes de blocos partidários para a aprovação dos requerimentos. O objetivo é ouvir dos gestores o que tem sido providenciado para resolver o problema dos estudantes.

?Há calouros que se mudaram para Brasília, há quem abandonou outras universidades, há quem firmou contrato de imóveis para conseguir estudar na ESCS. Se o erro fosse detectado antes do início das aulas, tudo bem. Mas os estudantes já estavam no curso, devidamente matriculados, e perderam inclusive o prazo para a matrícula em outras instituições?, justificou a parlamentar.

Na semana passada, a Justiça concedeu liminar para que uma das estudantes retornasse imediatamente aos estudos. No entanto, os outros 57 ainda aguardam um parecer judicial. ?Estamos correndo contra o tempo para que o prejuízo seja o menor possível. Erros são admitidos, o que não podemos aceitar é que esse erro prejudique tanto a vida de pessoas como ocorreu nesse vestibular?, criticou a parlamentar.

A presidente da Comissão de Educação, Liliane Roriz, adiantou que a comissão aguarda apenas o pronunciamento oficial das instituições para que o colegiado se debruce sobre uma ação judicial para garantir o direito dos estudantes. ?Estive na faculdade e a diretora me garantiu que só atenderia se fosse um pedido da Justiça. Se é assim, é nisso que vamos trabalhar?, comprometeu-se.