Enfrentamento ao Covid-19

Sesc-DF cria máscaras em impressora 3D para proteger profissionais de saúde

O intuito é poder minimizar a problemática da falta de equipamentos de proteção individuais

acessibilidade:
A produção começou na última sexta-feira (27), na unidade de Taguatinga Norte

Com intuito de ajudar os profissionais de saúde, durante enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, em decorrência da falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), o Sesc-Distrito Federal se mobilizou e começou a produzir máscaras com a ajuda de impressoras 3D.

O trabalho é realizado pela  área de educação do Sesc-DF, a produção do material teve início na sexta-feira (27), na unidade de Taguatinga Norte, e foi aprovada e validada pela Secretaria de Saúde do DF.

O secretário de Saúde do DF, Francisco Araújo Filho agradeceu a iniciativa e destacou que essa contribuição será muito bem-vinda nos hospitais. “Toda e qualquer doação é válida, não importa o valor nem a quantidade. Estamos atravessando uma situação de desabastecimento no mundo inteiro no que diz respeito a insumos e equipamentos específicos para o combate ao coronavírus. Essa ação do Sesc é muito importante para a saúde do DF”.

A coordenadora de Educação do Sesc-DF, Amanda Lopes conta que o projeto começou por conta de um movimento de confecção de máscaras 3D para proteger os profissionais de saúde. “Percebemos que temos instrumentos para fazer também por meio das impressoras. Portanto, reunimos todas as máquinas na unidade de Taguatinga Norte e começamos a produzir para doar para a Secretaria de Saúde. Estamos apoiando esse movimento. Essa semana vamos conseguir avançar bastante e estamos adquirindo mais insumos”.

O responsável pelos testes e pela linha de produção é o coordenador Pedagógico da Sala de Ciências, Diogo Bacellar. “Estamos com três máquinas ativas, duas delas produzindo em 48 minutos e a terceira em 2h. Para a confecção, utilizamos plástico biodegradável, acetado e liga elástica. O intuito é poder minimizar a problemática da falta de EPIs e como temos recursos é fundamental podermos contribuir de alguma forma”.