Saúde pública

Serviço de Cardiopediatria já fez mais de 230 atendimentos

Há 5 meses o serviço oferece exames, consultas e cirurgias

acessibilidade:

O programa estadual para atender crianças e adolescentes cardiopatas, que vai do diagnóstico e acompanhamento ambulatorial até a realização de cirurgias cardíacas, já beneficiou os pequenos alagoanos com mais de 92 exames, em apenas cinco meses de implantação. Consultas e cirurgias cardíacas também fazem parte do programa, que somam 128 atendimentos e 12 cirurgias, sendo três realizadas em Alagoas e nove em outros estados.

A iniciativa é fruto de uma parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e a Fundação Cardiovascular de Alagoas (Fundação Cordial), que tomaram as medidas necessárias para que o paciente com alguma doença do coração tenha o atendimento garantido. O serviço é ofertado no Hospital do Coração (HCor), localizado no bairro da Gruta de Lourdes, em Maceió, e financiado pelo Governo de Alagoas.

A secretária de Estado da Saúde, Rozangela Wyszomirska, esclareceu que a ideia da parceria, iniciada em abril de 2015, é de estruturar o fluxo para o suporte das crianças cardiopatas de Alagoas. Para o diretor médico do HCor, Ricardo César, o serviço representa o primeiro momento do projeto de estruturação da cardiopediatria no Estado.

O hospital dispõe de exames de eletrocardiograma, ecocardiograma e cateterismo cardíaco. Também consultas ambulatoriais e pré-cirúrgicas são realizadas na unidade, assim como cirurgias simples. Existe ainda o convênio com outros estados para a realização de cirurgias mais graves. Desde a implantação do serviço, foram realizados 92 exames de ecocardiograma e ainda 100 consultas ambulatoriais e 28 atendimentos pré-cirúrgicos.

 

Cirurgias

“Conseguimos o serviço pelo SUS [Sistema Único de Saúde], através do convênio entre a Sesau e a Fundação Cordial”, relatou Maria Francisca da Silva, mãe da primeira adolescente operada em Alagoas. O coração de Daniele da Santos, 13 anos, começou a ficar com batimentos tão acelerados que causavam dores. Identificada com insuficiência da válvula mitral, a jovem foi operada pelo cardiologista José Wanderley Neto.

“A cirurgia foi um sucesso e finalmente damos mais um passo para reestruturarmos o Serviço de Cardiopediatria em Alagoas”, destacou o cardiologista. Além dela, mais dois pacientes já foram operados no Estado, e também outros nove alagoanos já foram beneficiados com cirurgias realizadas fora de Alagoas. De acordo com o cronograma estabelecido, até o final de 2015, será realizada uma cirurgia semanalmente, passando para duas no próximo ano.

Para a secretária de Estado da Saúde, a implantação do Serviço de Cardiopediatria representa um avanço para o SUS em Alagoas. “Posso afirmar que o propósito do governador Renan Filho e o meu é assegurar o acesso dos alagoanos à saúde pública de qualidade, na qual todos disponham de serviços ágeis, eficientes e humanizados”, afirmou a gestora.

 

Entre Estados

Para os casos de cirurgias graves, que devem ser realizadas até o primeiro ano de vida, foi firmada uma parceria com hospitais do Estado de Pernambuco, Ceará e São Paulo. As cirurgias graves são realizadas pelo SUS e viabilizadas pela Fundação Cordial em hospitais parceiros, como o Instituto de Medicina Integral de Professor Fernando Figueira (IMIP), Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco Professor Luiz Tavares (Procape) e Real Hospital Português de Beneficência em Pernambuco, todos em Pernambuco; Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes, no Ceará; e o Instituto do Coração (Incor), em São Paulo.

Mais iniciativas foram providenciadas para garantir o suporte e a estruturação do Serviço de Cardiopediatria em Alagoas, a exemplo da implantação do teste do coraçãozinho. Em conjunto com a Rede Cegonha, as equipes médicas e paramédicas do interior do estado foram treinadas para a realização do teste nos recém-nascidos. (Danielle Cândido)

Reportar Erro