Greve

Sem servidores, Rui se apoia em Organizações Sociais

Solução do prefeito é pedir a ilegalidade da greve

acessibilidade:

Com os servidores municipais em greve por falta de reajuste salarial, o prefeito de Maceió, Rui Palmeira, está epelando para empresas do terceiro setor para cumprir com as obrigações do município.

Na manhã desta segunda-feira, 22, Rui afirmou que a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro do Trapiche não terá o fucnionamento afetado, pois é toda gerida por uma organização social e não pelo funcionalismo público.]

"A UPA é totalmente gerida pela Organização Social, então aqui não há servidores públicos. São todos contratados pela OS. É claro que, com a greve, a população que iria à Unidade de Saúde Roland Simon, vai acabar 'estourando' a UPA ou o HGE [Hospital Geral do Estado]. Por isso queremos evitar esse tipo de transtorno", afirmou o prefeito.

Para "evitar esse tipo de transtorno", Rui afirma que a Procuradoria Geral do Município (PGM) vai ingressar com o pedido de ilegalidade da greve ainda hoje.

Reportar Erro